ENCONTROS COM S PAULO 9 Na Bblia um

  • Slides: 54
Download presentation
ENCONTROS COM S. PAULO (9)

ENCONTROS COM S. PAULO (9)

Na Bíblia, um dia de festa (mô‘ed), – de ya‘ad [= marcar um encontro]

Na Bíblia, um dia de festa (mô‘ed), – de ya‘ad [= marcar um encontro] – é um encontro marcado. Uma festa é um encontro marcado com Deus e com os outros. Sendo um encontro marcado com Deus e com os outros, então é sempre um espaço de alegria, de filialidade e de fraternidade.

E se a festa é de peregrinação, como são a Páscoa, as Semanas ou

E se a festa é de peregrinação, como são a Páscoa, as Semanas ou Pentecostes e as Tendas, então a alegria, a filialidade e a fraternidade são ainda mais intensas, dado que festa de peregrinação se diz, na língua hebraica, hag. E hag deriva de hûg, que significa círculo, e, portanto, família, lareira, encontro, alegria, música, roda, dança, vida.

Fui agarrado por Jesus Cristo (Fl 3, 12)

Fui agarrado por Jesus Cristo (Fl 3, 12)

As coisas atrás esquecendo lixo, esterco para as coisas à frente me atirando meta,

As coisas atrás esquecendo lixo, esterco para as coisas à frente me atirando meta, prémio

Paulo de Cristo em Cristo para Cristo 130 x Paulo 2 x Act; 4

Paulo de Cristo em Cristo para Cristo 130 x Paulo 2 x Act; 4 x 1 Pe; 1 x Ap. Paulo… Cristónomo

 «É pela GRAÇA de Deus que sou o que sou» (1 Cor 15,

«É pela GRAÇA de Deus que sou o que sou» (1 Cor 15, 10) «A graça servida por nós» (2 Cor 8, 19)

A Graça a abrir e a fechar todas as cartas… Hen / cháris 100

A Graça a abrir e a fechar todas as cartas… Hen / cháris 100 x Paulo, 55 x resto NT Hanan / eleéô Primeiro dizer do Novo Testamento: « 1, 1 GRAÇA a vós e PAZ. 2 DAMOS GRAÇAS a Deus sempre por todos vós» . (1 Ts 1, 1 -2) Relação bilateral / trilateral / quadrilateral

Era uma vez uma estrada, uma carreira, um curso, um percurso, que só havia

Era uma vez uma estrada, uma carreira, um curso, um percurso, que só havia uma maneira de fazer: a correr. Está-se mesmo a ver só se iria inscrever quem não gostasse mesmo nada de perder.

Corria então nessa estrada um famoso corredor, a transbordar de zelo e de ardor,

Corria então nessa estrada um famoso corredor, a transbordar de zelo e de ardor, indómito lutador. Já se sabia, saía sempre vencedor.

Até que um dia à hora do meio-dia, do sol a pique e de

Até que um dia à hora do meio-dia, do sol a pique e de Deus na via, um novo corredor vindo de fora, não se sabe de onde, agarrava e ultrapassava nessa estrada o corredor.

A estrada era para os lados de Damasco, Paulo o corredor, Jesus o novo

A estrada era para os lados de Damasco, Paulo o corredor, Jesus o novo vencedor. Começa aqui outra história de outro amor com Paulo a correr por dentro e por fora até morrer.

Fora de si, dentro de si, movimento transitivo no mapa, nos mares, nas estradas,

Fora de si, dentro de si, movimento transitivo no mapa, nos mares, nas estradas, nas cidades, movimento intransitivo, ao jeito de Abraão, rasgando avenidas no próprio coração.

Mas não quis mais correr sozinho. Para mim correr é Cristo, dizia, e corria

Mas não quis mais correr sozinho. Para mim correr é Cristo, dizia, e corria agarrado à sua mão. Uma mão na mão de Cristo, a outra apertando a de um irmão e outro irmão, uma verdadeira multidão em comunhão.

É verdade, quando Jesus irrompe na vida de alguém, interrompe a normalidade de um

É verdade, quando Jesus irrompe na vida de alguém, interrompe a normalidade de um percurso, e rompe essa vida em duas partes desiguais: uma que fica para trás, outra que se abre agora à nossa frente, recta como uma seta directa a uma meta, a um alvo, um objectivo intenso e claro, tão intenso e claro que na vida de cada um só pode haver um!

PAULO EM CLAVE MATERNAL E PATERNAL: EVANGELIZAÇÃO VIVIDA E AFECTIVA, PERSONALIZADA E A TEMPO

PAULO EM CLAVE MATERNAL E PATERNAL: EVANGELIZAÇÃO VIVIDA E AFECTIVA, PERSONALIZADA E A TEMPO INTEIRO

 « 2, 7 b. Pelo contrário, tornámo-nos crianças no meio de vós, COMO

« 2, 7 b. Pelo contrário, tornámo-nos crianças no meio de vós, COMO UMA MÃE que acalenta os próprios filhos. 8 Assim, cheios de afeição por vós, queríamos dar-vos, não apenas o evangelho de Deus, mas também a nossa própria vida, pois tornastes-vos queridos para nós. 9 Recordais-vos, de facto, irmãos, da nossa fadiga e do nosso esforço, trabalhando de noite e de dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. Foi assim que vos pregámos o evangelho de Deus. » » »

10 Vós sois testemunhas, e Deus também o é, de quão puro, justo e

10 Vós sois testemunhas, e Deus também o é, de quão puro, justo e irrepreensível tem sido o nosso modo de proceder para convosco, os que acreditais. 11 Como sabeis como a cada um de vós, COMO UM PAI aos seus próprios filhos, 12 exortando-vos e encorajando e confirmando, para que caminheis de modo digno a Deus, que vos está a chamar ao seu Reino e à sua glória» . (1 Ts 2, 7 b-12)

A GRAÇA tempo e jeito maternal Descobre sempre alguém para embalar A GRAÇA só

A GRAÇA tempo e jeito maternal Descobre sempre alguém para embalar A GRAÇA só sabe dizer SIM A GRAÇA é DEUS a olhar por mim

Sou eu também a olhar por ti assim. «É pela GRAÇA de Deus que

Sou eu também a olhar por ti assim. «É pela GRAÇA de Deus que SOU o que SOU» 1 Cor 15, 10

A outra rede da missão: muitos e bons cooperadores (Rm 16, 1 -15)

A outra rede da missão: muitos e bons cooperadores (Rm 16, 1 -15)

Cooperadores precisam-se para formar uma rede de evangelizadores Já ouviste chamar pelo teu nome?

Cooperadores precisam-se para formar uma rede de evangelizadores Já ouviste chamar pelo teu nome?

a história do anel verdadeiro O anel partido… e reconstituído ou o grau da

a história do anel verdadeiro O anel partido… e reconstituído ou o grau da minha fidelidade a Cristo

 « 3, 12 REVESTI-VOS, portanto, como eleitos de Deus, santos e amados (êgapêménoi:

« 3, 12 REVESTI-VOS, portanto, como eleitos de Deus, santos e amados (êgapêménoi: part. perf. pass. de agapáô), de vísceras de misericórdia (splágchna oiktirmoû), bondade, humildade, mansidão e magnanimidade, 13 suportando-vos uns aos outros e fazendo-vos graça (charízomai) uns aos outros se alguém tiver razões de queixa contra outro. Como o Senhor vos fez graça (charízomai), assim fazei também vós» . (Cl 3, 12 -13)

 « 13, 13 b. Não em orgias e bebedeiras, não em devassidão e

« 13, 13 b. Não em orgias e bebedeiras, não em devassidão e libertinagem, não em rixas e ciúmes, 14 mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não presteis atenção à carne através da concupiscência» . Confissões VIII, 12 (Rm 13, 13 b-14) (ano 386)

Movido pela esperança

Movido pela esperança

 « 5, 5 A esperança não desilude, porque o amor de Deus foi

« 5, 5 A esperança não desilude, porque o amor de Deus foi derramado nossos corações» . (Rm 5, 5)

Esperança Estar sempre à espera de alguém e saber bem que Alguém espera por

Esperança Estar sempre à espera de alguém e saber bem que Alguém espera por nós!

 «Ele [Abraão] não ficou abaulado na incredulidade» . desconfiança insegurança (Rm 4, 20)

«Ele [Abraão] não ficou abaulado na incredulidade» . desconfiança insegurança (Rm 4, 20)

Chamava-se esperança era pequenina saltava à corda com a força que tinha. A corda

Chamava-se esperança era pequenina saltava à corda com a força que tinha. A corda tensa a corda abaulada tornava-se imensa nas mãos da menina.

Entre o céu e a terra baloiçando a corda pulava o horizonte de borda

Entre o céu e a terra baloiçando a corda pulava o horizonte de borda em borda. Sobre o vau da vida sobre o vau da morte a corda tendida como passaporte.

Frágil, forte, o fio da esperança salta o vau da morte com um pé

Frágil, forte, o fio da esperança salta o vau da morte com um pé de dança. Assim vai o caixão descendo pela corda mas sobe o coração sursum corda.

De Deus descia a escada de corda a menina tecia o seu céu de

De Deus descia a escada de corda a menina tecia o seu céu de corda.

Nós pregamos Cristo crucificado

Nós pregamos Cristo crucificado

Soberana dádiva da vida por amor, para sempre, para todos.

Soberana dádiva da vida por amor, para sempre, para todos.

 «El Cristo de la Sonrisa» (Castillo de Javier – Navarra) O Cristo que

«El Cristo de la Sonrisa» (Castillo de Javier – Navarra) O Cristo que contemplou Xavier e que Xavier contemplou Cumplicidade «Com a boca sempre cheia de riso e da graça de Deus»

Bem se vê que é de amor que falo, ou calo. Importa ouvir sempre

Bem se vê que é de amor que falo, ou calo. Importa ouvir sempre a voz do galo, e não perder o rumor dos teus passos no jardim, ou já dentro de mim, suave Senhor de la Sonrisa, fina brisa à flor dos lábios, alento, encanto.

Atento, que pode a semente germinar antes do tempo, e a espiga amadurar antes

Atento, que pode a semente germinar antes do tempo, e a espiga amadurar antes do campo!

Cristo Ressuscitado como primícias (1 Cor 15, 20 e 23)

Cristo Ressuscitado como primícias (1 Cor 15, 20 e 23)

A nossa história com Cristo Uma história de tal modo bela…

A nossa história com Cristo Uma história de tal modo bela…

Com-crucificados com-mortos com-sepultados com-vivificados com-crescidos com-ressuscitados com-sentados nos céus

Com-crucificados com-mortos com-sepultados com-vivificados com-crescidos com-ressuscitados com-sentados nos céus

Eu sou o país onde tu podes ser feliz!

Eu sou o país onde tu podes ser feliz!

O Evangelho evangelizado por mim (Gl 1, 11)

O Evangelho evangelizado por mim (Gl 1, 11)

 «Evangelizar constitui, de facto, a graça e a vocação própria da Igreja, a

«Evangelizar constitui, de facto, a graça e a vocação própria da Igreja, a sua identidade mais profunda. A Igreja existe para evangelizar» . (EN, n. º 14)

 «A Evangelização é o fundamento de tudo e deve ter o primado sobre

«A Evangelização é o fundamento de tudo e deve ter o primado sobre tudo; nada a pode substituir e nenhuma outra tarefa se pode antepor-lhe» . (QNF, n. º 2)

 « 4, 5 Faz o trabalho de um Evangelista» . (2 Tm 4,

« 4, 5 Faz o trabalho de um Evangelista» . (2 Tm 4, 5)

 « 5, 16 Alegrai-vos sempre! 17 Orai sem cessar! Em tudo dai graças

« 5, 16 Alegrai-vos sempre! 17 Orai sem cessar! Em tudo dai graças (…). 19 Não apagueis o Espírito. 21 Examinai tudo: guardai o que é bom!» (1 Ts 5, 16 -21)

 « 6, 18 Orai em todo o tempo no Espírito (…). 19 Orai

« 6, 18 Orai em todo o tempo no Espírito (…). 19 Orai também por mim, para que, quando eu abrir os meus lábios, me seja dada a Palavra com toda a liberdade, para fazer conhecer o mistério do Evangelho (…), 20 para que eu fale como é necessário que eu fale» . (Ef 6, 18 -20) (Cl 4, 2 -4)

vós sois a carta de Cristo… O que diz a tua carta?

vós sois a carta de Cristo… O que diz a tua carta?

Na página em branco poisam as palavras: amor, paz, pão, comunicação. Na página em

Na página em branco poisam as palavras: amor, paz, pão, comunicação. Na página em branco poisam as estradas, pontes, horizontes, escolas para o meu irmão: hifenização.

Na página em branco poisam os sorrisos, os sonhos, a missão: a ternura de

Na página em branco poisam os sorrisos, os sonhos, a missão: a ternura de um Deus que quis precisar da minha mão. Um vinco na página, uma dobra, transforma as palavras em mensagem, que a aragem do Espírito fará chegar a ti: Evangelização, missão coração a coração.

Abres a página dobrada sobre o vinco: as palavras saltarão para o teu colo,

Abres a página dobrada sobre o vinco: as palavras saltarão para o teu colo, para o teu rosto, para o teu regaço, para o teu sorriso, para a tua mão. Estão vivas as palavras, meu irmão, minha irmã, estão vivas. Acordam quando tu as lês, todos os dias, quando desdobras a página, o coração, onde dormem suavementernecidas.

Senhora da Anunciação, que corres ligeira sobre os montes, vela por nós, fica à

Senhora da Anunciação, que corres ligeira sobre os montes, vela por nós, fica à nossa beira. É bom ter a esperança como companheira.