A BASE ECONMICA DA SOCIEDADE Tentativas de explicar

  • Slides: 13
Download presentation
A BASE ECONÔMICA DA SOCIEDADE

A BASE ECONÔMICA DA SOCIEDADE

Tentativas de explicar a sociedade Platão – “A República” (idealização) Aristóteles – “Política” Maquiavel

Tentativas de explicar a sociedade Platão – “A República” (idealização) Aristóteles – “Política” Maquiavel – a sociedade com ela é (realismo) e não como deveria ser Jean-Jacques Rousseau – A propriedade privada está na origem das desigualdades sociais. Karl Marx (1818 -1883) – chamou a atenção para a importância das condições materiais (econômicas) de existência na formação das sociedades.

A PRODUÇÃO Bens são todas as coisas materiais colhidas na natureza ou produzidas. Serviços

A PRODUÇÃO Bens são todas as coisas materiais colhidas na natureza ou produzidas. Serviços são as atividades econômicas voltadas para a satisfação de necessidades e que não estão relacionadas diretamente à produção de bens. DISTRIBUIÇÃO E CONSUMO Indivíduos isolados não produzem tudo aquilo de que precisam. Coletivamente as pessoas participam da vida econômica tendo como principais atividades a produção, a distribuição e o consumo de bens; ex. : o operário – atuação na produção; – distribuição a partir da compra de bens e serviços; – consumo de bens e serviços.

PROCESSO DE PRODUÇÃO – é formado por três componentes: Trabalho Matéria Prima Instrumentos de

PROCESSO DE PRODUÇÃO – é formado por três componentes: Trabalho Matéria Prima Instrumentos de Produção TRABALHO Toda atividade humana que resulte em bens ou serviços • Predominantemente Manual • Predominantemente Intelectual O valor da qualificação (grau de participação exigido do profissional) • Qualificado – exige conhecimento técnico. • Não qualificado – pode ser realizado praticamente sem capacitação.

MATÉRIA PRIMA Componentes iniciais do produto que no processo de produção são transformados até

MATÉRIA PRIMA Componentes iniciais do produto que no processo de produção são transformados até adquirirem a forma de bem final (tecido, linha, agulha etc. ) Recursos naturais- elementos extraídos da natureza que tem uso social (rios e quedas-d’água; petróleo; algodão, etc). Tornam-se parte integrante da economia. MEIOS DE PRODUÇÃO Todos os objetos que direta ou indiretamente nos permitem transformar matéria-prima em bem final são chamadas instrumentos de produção (ex. : ferramentas, equipamentos, maquinas etc. ) MEIOS DE PRODUÇÃO = matéria prima + instrumentos de trabalho. FORÇAS PRODUTIVAS = meios de produção + trabalho humano As forças produtivas alteram-se ao longo da História (Revolução Industrial)

RELAÇÕES DE PRODUÇÃO As pessoas dependem umas das outras para obter resultados pretendidos estabelecendo

RELAÇÕES DE PRODUÇÃO As pessoas dependem umas das outras para obter resultados pretendidos estabelecendo assim relações entre si. O trabalho é necessariamente um ato social. Todo processo produtivo conta sempre com pelo menos dois agentes sociais básicos: trabalhadores (PROLETARIADO) e proprietários (BURGUESIA) dos meios de produção. A Propriedade As relações de produção organizam e definem a sociedade. Fator primordial para definição das relações de produção que organizam a sociedade. O conjunto de forças produtivas e relações de produção tem o nome de Modos de Produção. “O modo de produção da vida material condiciona o processo de vida social, política e espiritual, ou seja, não é a consciência dos homens que determina o seu ser, mas, ao contrário, é o seu ser social que determina sua consciência”. ( Karl Marx)

MODOS DE PRODUÇÃO: A HISTÓRIA DE TRANSFORMAÇÃO DA SOCIEDADE É a maneira pela qual

MODOS DE PRODUÇÃO: A HISTÓRIA DE TRANSFORMAÇÃO DA SOCIEDADE É a maneira pela qual a sociedade produz seus bens e serviços, como os utiliza e como os distribui. Também é chamado de sistema econômico. Modo de Produção = Forças Produtivas + Relações de Produção • Toda sociedade tem uma forma de produção; • É constituída por fatores dinâmicos que mudam constantemente; • As mudanças acarretam rupturas nos modos de produção. Principais modos de produção: • Comunal, primitivo; • Escravista; • Asiático; • Feudal; • Capitalista; • Socialista Alguns desses modos de produção podem existir ao mesmo tempo ou podem ocorrer em épocas e locais diferentes, numa determinada sociedade.

MODO DE PRODUÇÃO = Forças Produtivas + Relações de Produção FORÇAS PRODUTIVAS = meios

MODO DE PRODUÇÃO = Forças Produtivas + Relações de Produção FORÇAS PRODUTIVAS = meios de produção + trabalho humano MEIOS DE PRODUÇÃO = matéria prima + instrumentos de trabalho.

Modos de Produção Pré –Capitalistas Quando se define uma sociedade a partir de seu

Modos de Produção Pré –Capitalistas Quando se define uma sociedade a partir de seu modo de produção, não é necessário dizer que ele é o único e sim que é o mais importante. Modo de Produção Comunal Primitivo • Os seres humanos viviam em grupos nômades e dependiam exclusivamente dos recursos naturais da região; • Sobreviviam graças à coleta e ao extrativismo; • As pessoas deixaram de ser nômades, começaram a cultivar a terra (por volta 10000 a. C) e passaram a se fixar em determinadas regiões (cultivando frutas e legumes e ainda criando animais); • As pessoas trabalhavam em estreita cooperação. A terra era o principal meio de produção; • Não existia a idéia de propriedade privada e não havia oposição entre proprietários e trabalhadores; • A comunidade primitiva foi a primeira forma de organização humana.

Modo de Produção Escravista • Os meios de produção e os escravos eram de

Modo de Produção Escravista • Os meios de produção e os escravos eram de propriedade do senhor. • O escravo era considerado um objeto, instrumento; • As relações de produção eram de domínio e sujeição. • O senhor era dono dos portadores da força de trabalho, dos meios de produção e do produto do trabalho. ; • Exigia um controle rígido dos escravos dominados e regras para regular a ordem social; • Necessidade que surgisse o Estado para garantir os interesses dos senhores; • Sociedades: a grega e a romana da antiguidade clássica. • A economia escravista era basicamente agrária; • Nas cidades o desenvolvimento intelectual era privilégio dos cidadãos livres. • Na Grécia o trabalho manual era desprezado; • A sociedade romana repetiu esse modelo; • Nos dois casos, foi preciso manter uma enorme exercito como máquina de guerra, para invadir e conquistar muitos povos a fim e conseguir mais riquezas.

Modo Asiático de Produção • Predominou na índia e no Egito da antiguidade bem

Modo Asiático de Produção • Predominou na índia e no Egito da antiguidade bem como civilizações pré-colombianas como incas, maias e astecas; • Sociedades fechadas, equipadas com Estado forte e uma burocracia eficiente; • Todas as forças de trabalho pertenciam ao Estado, encarnado na figura do Imperador. • O grupo mais privilegiado era o dos sacerdotes, nobres e guerreiros; • O grupo mais poderoso era o dos administradores públicos que atuavam em nome do Estado. • No entanto, sucumbiram a seus próprios excessos - luxo e desperdícios das camadas superiores; • Invasões estrangeiras – incas e astecas desapareceram.

Modo de Produção Feudal • Predominou na Europa; • Nas cidades-estado italianas como Veneza,

Modo de Produção Feudal • Predominou na Europa; • Nas cidades-estado italianas como Veneza, Florença, e da península ibérica de Portugal e Espanha, onde passaram quase toda Idade Média sob o domínio mulçumano; • Estruturou-se sob a divisão entre senhores e servos; • As relações baseavam-se na propriedade do senhor sobre a terra e no trabalho agrícola do servo; • Os servos não viviam como escravos, eles tinham direito de cultivar um pedaço de terra cedida pelo senhor desde que, em troca, pagassem a ele impostos e rendas. Eram obrigados a trabalhar nas terras do senhor sem nada receber, sistema conhecido como corveia. A terra era apenas para usufruto. • Os senhores tinham o poder econômico e político, portanto faziam as leis e obrigavam os servos a cumpri-las; • Se baseavam no campo pouco importando as cidades. • Os nobres e bispos mantinham-se muitos bem protegidos pelos seus próprios exércitos e gozavam de considerável independência política em relação ao rei;

Queda do feudalismo • Guerras prolongadas e epidemias. • Surgimento de novas cidades e

Queda do feudalismo • Guerras prolongadas e epidemias. • Surgimento de novas cidades e o incremento da produção manufatureira para atender às necessidades crescentes da população urbana; • Origem a uma nova classe social: a burguesia mercantil; • Choque entre a burguesia a nobreza feudal; • Os servos abandonaram suas antigas aldeias feudais; • Sucessivas revoltas camponesas; • Crescimento do comércio estimulou a populações a estabelecer seus próprios tribunais, suas leis e seus próprios sistemas de impostos. • Com a necessidade de um novo tipo de sociedade uma nova forma de organização estava criada: o modo capitalista de produção