Trovadorismo Literatura Aula 1 Exerccios Questo 1 UFPA2005

  • Slides: 14
Download presentation
 Trovadorismo Literatura - Aula 1 - Exercícios

Trovadorismo Literatura - Aula 1 - Exercícios

� Questão 1 - (UFPA/2005) Bailemos agora, por Deus, ai velidas [formosas], so [sob]

� Questão 1 - (UFPA/2005) Bailemos agora, por Deus, ai velidas [formosas], so [sob] aquestas [estas] avelaneiras frolidas [floridas] e quem for velida, como nós velidas, se amig'amar so [sob] aquestas avelaneiras frolidas verrá [virá] bailar! Bailemos agora, por Deus, ai loadas [louvadas], so aquestas avelaneiras granadas [em flor] e quem for loada, como nós loadas, se amig'amar so [sob] aquestas avelaneiras granadas verrá bailar!” ZORRO, João. In: CARDOSO, Wilton; CUNHA, Celso. Estilística e Gramática Histórica. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1978. p. 300.

� Acerca do poema, é correto afirmar: (A) Trata-se de uma cantiga de amor

� Acerca do poema, é correto afirmar: (A) Trata-se de uma cantiga de amor de refrão, visto que o sujeito é feminino e o objeto, masculino. (B) Observa-se o acatamento às regras do amor cortês, sobretudo, no que diz respeito à vassalagem amorosa. (C) O cenário, extremamente convencional, indica a presença da cantiga de amor em que a natureza não se apresenta como amiga e confidente. (D) Embora haja uma caracterização da donzela como “velida” [formosa] e “loada” [louvada] , o sentimento amoroso manifesta-se como “coita” de amor infeliz. (E) Explora-se a temática da alegria de amar e de ser amada, ocorrendo relacionamento entre o sujeito e o objeto num plano de igualdade.

�Resposta: E) Explora-se a temática da alegria de amar e de ser amada, ocorrendo

�Resposta: E) Explora-se a temática da alegria de amar e de ser amada, ocorrendo relacionamento entre o sujeito e o objeto num plano de igualdade.

Questão 2 – (UFAM) Leia o poema abaixo, de autoria de D. Dinis, rei

Questão 2 – (UFAM) Leia o poema abaixo, de autoria de D. Dinis, rei de Portugal, antes de responder à questão abaixo: � En gran coita, senhor, que pior que mort'é, vivo, per boa fé, e polo voss'amor esta coita sofr'eu por vós, senhor, que eu Vi polo meu gran mal, e melhor me será de morrer por vós já

 e, pois me Deus non val, esta coita sofr'eu por vós, senhor, que

e, pois me Deus non val, esta coita sofr'eu por vós, senhor, que eu Polo meu gran mal vi, e mais me val morrer ca tal coita sofrer, pois por meu mal assi esta coita sofr'eu por vós, senhor, que eu Vi por gran mal de mi, pois tam coitad'and'eu. ”

A respeito do poema acima fazem-se as seguintes afirmativas: I. É uma cantiga de

A respeito do poema acima fazem-se as seguintes afirmativas: I. É uma cantiga de escárnio, pois o poeta ridiculariza a mulher amada. II. É uma cantiga de amigo, pois o eu lírico é feminino. III. Possui versos paralelísticos, como “Vi polo meu gran mal” e “Polo meu gran mal vi”. IV. É uma cantiga de amor, pois o eu lírico, além de ser masculino, sofre intensamente um amor impossível. V. É uma cantiga de refrão, o qual possui a particularidade de ver o seu sentido completado na estrofe seguinte. VI. É uma cantiga de maldizer, pois o poeta não se conforma com o fato de não conquistar a mulher que ama. Estão corretas: a) Apenas III e VI. b) Apenas I e V. c) Apenas II e III. d) III, IV e V. e) Apenas II e V.

�Resposta: d) III, IV e V. III. Possui versos paralelísticos, como “Vi polo meu

�Resposta: d) III, IV e V. III. Possui versos paralelísticos, como “Vi polo meu gran mal” e “Polo meu gran mal vi”. IV. É uma cantiga de amor, pois o eu lírico, além de ser masculino, sofre intensamente um amor impossível. V. É uma cantiga de refrão, o qual possui a particularidade de ver o seu sentido completado na estrofe seguinte.

�Questão 3: Ai, dona fea, fostes-vos queixar que vos nunca louv[o] em meu cantar;

�Questão 3: Ai, dona fea, fostes-vos queixar que vos nunca louv[o] em meu cantar; mais ora quero fazer un cantar en que vos loarei toda via; e vedes como vos quero loar: dona fea, velha e sandia! (Joan Garcia de Guilhade )

�Assinale a alternativa que identifique corretamente o tipo de composição poética exemplificada no texto:

�Assinale a alternativa que identifique corretamente o tipo de composição poética exemplificada no texto: a) Cantiga de amor b) Cantiga de amigo c) Cantiga de escárnio d) Cantiga de maldizer

�Resposta: c) Cantiga de escárnio

�Resposta: c) Cantiga de escárnio

�Questão 4: Da mulher vossa, ó meu Pero Rodrigues Jamais creiais no mal que

�Questão 4: Da mulher vossa, ó meu Pero Rodrigues Jamais creiais no mal que falam dela. Pois bem sei eu que ela por vós mui zela, Quem não vos quer vos traz somente intrigas! Pois quando deitou ela em minha cama, A mim mui bem de ti ela falava, Se a mim deu o corpo, é a vós quem ela ama. (Martim Soares)

�Assinale a alternativa que identifique corretamente o tipo de composição poética exemplificada no texto:

�Assinale a alternativa que identifique corretamente o tipo de composição poética exemplificada no texto: a) Cantiga de amor b) Cantiga de amigo c) Cantiga de escárnio d) Cantiga de maldizer

�Resposta: d) Cantiga de maldizer

�Resposta: d) Cantiga de maldizer