Teoria HistricoCultural princpios bsicos Coordenadoras Meire Cristina dos

  • Slides: 31
Download presentation
Teoria Histórico-Cultural: princípios básicos Coordenadoras Meire Cristina dos Santos Dangió Yaeko Nakadakari Tsuhako

Teoria Histórico-Cultural: princípios básicos Coordenadoras Meire Cristina dos Santos Dangió Yaeko Nakadakari Tsuhako

Periodização do Desenvolvimento Humano Conteúdo: . Atividade de Estudo

Periodização do Desenvolvimento Humano Conteúdo: . Atividade de Estudo

Atividade de Estudo Nesta etapa conversaremos sobre o tema Atividade de Estudo. As premissas

Atividade de Estudo Nesta etapa conversaremos sobre o tema Atividade de Estudo. As premissas da Atividade de Estudo surgem na atividade de jogo, na medida em que proporcionam o surgimento de interesses cognitivos que não podem ser plenamente satisfeitos com o jogo, o que irá requerer fontes mais amplas de conhecimentos do que as oferecidas pela vida cotidiana, possibilitando a melhor compreensão da realidade. No filme “Up Altas aventuras” podemos ver o surgimento do interesse por conhecer conteúdos sobre geografia (onde fica a América do Sul, distância e como chegar lá), língua portuguesa (produção textual após pesquisa, leitura de revista científica), entre outros conhecimentos que surgem de uma situação problema.

“Antes a criança sentia a necessidade de fazer o que o adulto faz, neste

“Antes a criança sentia a necessidade de fazer o que o adulto faz, neste momento ela quer saber o que o adulto sabe” APROPRIAÇÃO DO CONHECIMENTO

Conhecimento e realidade Para conhecer a realidade podemos nos utilizar de conhecimentos cotidianos e

Conhecimento e realidade Para conhecer a realidade podemos nos utilizar de conhecimentos cotidianos e não cotidianos. Conhecimentos cotidianos Conhecimentos científicos anéis – idade das árvores preservação células arte

Conhecimento e realidade CONCEITOS ESPONT NEOS 1. CONCEITOS CIENTÍFICOS formas rudimentares de construção de

Conhecimento e realidade CONCEITOS ESPONT NEOS 1. CONCEITOS CIENTÍFICOS formas rudimentares de construção de significados; 2. assimilados na vida cotidiana do indivíduo; 1. formas de categorização e generalização avançadas; 3. se caracterizam pela ausência de uma percepção consciente de suas relações, são orientados pelas semelhanças concretas e por generalizações isoladas; 3. ensinados com a formalização de regras lógicas, sua assimilação envolve análise, que se inicia com uma definição verbal, operações mentais de abstração e generalização; 2. 4. 4. são a base dos conceitos científicos. assimilados por meio da colaboração sistemática, organizada entre o prof. e a criança; apóiam-se em conceitos espontâneos já apropriados.

Ao ter contato com os conteúdos científicos é possível desenvolver a capacidade de generalização

Ao ter contato com os conteúdos científicos é possível desenvolver a capacidade de generalização e operar com conceitos abstratos, havendo a superação das propriedades naturais, “elementares”, das funções psíquicas, em direção à conquista de propriedades “superiores”, culturalmente formadas papel da educação escolar!!!

Como você agruparia estes animais?

Como você agruparia estes animais?

Provavelmente uma criança agruparia da seguinte forma: por cor, por tamanho ou porque tem

Provavelmente uma criança agruparia da seguinte forma: por cor, por tamanho ou porque tem um elemento comum cor tem asas

O tipo mais simples de abstração compreende em comparar dois objetos e determinar uma

O tipo mais simples de abstração compreende em comparar dois objetos e determinar uma semelhança entre eles. Isso implica a capacidade de abstrair uma característica comum aos dois objetos como base de comparação. bichos

A criança vai de uma compreensão caótica dos significados das palavras até uma compreensão

A criança vai de uma compreensão caótica dos significados das palavras até uma compreensão que lhe permite extrapolar o significado aparente. Os conceitos científicos se formam na escola por meio de um processo orientado, organizado e sistemático. Toda vez que o indivíduo organiza novas estruturas ele reorganiza e transforma a estrutura de todos os conceitos anteriores.

Para ilustrar o assunto apresentamos a História em quadrinhos do Chico Bento CHICO BENTO

Para ilustrar o assunto apresentamos a História em quadrinhos do Chico Bento CHICO BENTO E A MATEMÁTICA R= Rosinha ; P = Professora ; C = Chico Bento ; J = Juquinha ; D = Diretor; A - Alunos P - Hoje, vamos ver matéria nova de Matemática. A - AAAAHHHHH!!!! P - O que foi Chico? C - Ah Professora, matemática é difícil!!! P - Que bobagem! Matemática não tem mistério! É Lógica Pura!! P - Vamos aprender sobre as incógnitas! C - Ai! Óia os nomes!

(Professora escreve no quadro 2+5 -x=3) C - Fessora a senhora erro ai! Iscrivinhô

(Professora escreve no quadro 2+5 -x=3) C - Fessora a senhora erro ai! Iscrivinhô um "X"!! P - Foi de propósito! C - Mais "X" é letra. . . num é número! P - Então! "X" é a incógnita! O valor que temos que descobrir! P - Podia ser um "Y", um "A", "B" ou um "C". Então, qual é o valor de "X"? Você sabe, Chico? C - Eu não! Quem vai no mercado sempre é a minha mãe! P - (Professora Brava) Isso não tem nada a ver com o mercado! Qual é o valor de "X"? C - Er. . . a fessora bota o preço quisé fessora!! P - Aiiiiiii!!!!! P - Não é valor de preço! É um valor numérico! Vou ensinar a calcular!!

(Professora escreve no quadro (2+5)-x=3 ) P - Vamos colocar a primeira conta entre

(Professora escreve no quadro (2+5)-x=3 ) P - Vamos colocar a primeira conta entre parênteses! C - Vixi! C - Ih, fessora num vai dá! Eu num tenho nenhum!! P - Nenhum, o quê? ? C - Ninhum parente aqui na crasse, uai! A sinhora não falô qi é entre parentes? P - Parênteses Chico!! Parênteses!! (Apontando pro quadro) P - Este sinal gráfico aqui! É óbvio! Matemática não tem nada a ver com parentes!!! J - Como não fessora, tem sim!! J - E os números primos? ? ? C - É verdade! Primo é parente!! R - - Ai! E os números pares? São casaizinhos? J - Mas casal não são parentes!!

C - I matemática também tem qui vê cas pranta! Si lembra da raiz

C - I matemática também tem qui vê cas pranta! Si lembra da raiz quadrada? J - É verdade! C - I também tem qui vê com a música! Si lembra dos conjuntos. Fessora, conjunto vazio é quando todos os músicos fora imbora, é? C - I dipois ainda diz que matemática não tem segredo! Se não tivesse eles contavam as respostas das provas!!! (Professora sai correndo para a sala do diretor) D - Como assim Dona Maricas? Não estou entendendo!! A senhora quer uma licença. . . bem agora no meio do ano!!? ? (Professora chorando desesperada) P - É que ensinar matemática pra essa turma é difíííícccciiiilll!!!

O papel da escola A escola é um dos espaços privilegiados de humanização e

O papel da escola A escola é um dos espaços privilegiados de humanização e tem, como especificidade, garantir que os estudantes, desde a mais tenra infância, apropriem-se das formas mais desenvolvidas de consciência social. A entrada na escola traz profundas transformações ao desenvolvimento infantil – há mudanças em seu lugar social e produção de neoformações psicológicas. “[. . . ] com o ingresso na escola, a criança começa a assimilar os rudimentos das formas mais desenvolvidas da consciência social, ou seja, a ciência, a arte, a moral, o direito, os que estão ligados com a consciência e o pensamento teórico das pessoas. ” (VYGOTSKI, 1996)

Na idade escolar inicial, as crianças realizam outros tipos de atividades, mas a principal

Na idade escolar inicial, as crianças realizam outros tipos de atividades, mas a principal e que governa o desenvolvimento é a de estudo. VYGOTSKI A atividade guia neste momento é a ATIVIDADE DE ESTUDO

O que é Atividade de Estudo? É um tipo específico de atividade com: a)

O que é Atividade de Estudo? É um tipo específico de atividade com: a) conteúdos – conhecimentos teóricos b) estrutura própria – compreensão das tarefas de estudo; realização de ações de estudo, de controle e avaliação. Professor possui papel central na atividade de estudo, pois: Organiza as tarefas de estudo; Cria situações que proporcionam aos estudantes autonomia na resolução das tarefas de estudo e formação da capacidade de estudar.

O professor deve apresentar situações de aprendizagem que considerem o nível de desenvolvimento real

O professor deve apresentar situações de aprendizagem que considerem o nível de desenvolvimento real dos estudantes, instigando e promovendo a atuação dos estudantes em sua zona de desenvolvimento próximo ou iminente.

Quais as implicações da Atividade de Estudo? Por meio da ATIVIDADE DE ESTUDO, as

Quais as implicações da Atividade de Estudo? Por meio da ATIVIDADE DE ESTUDO, as crianças reproduzem os conhecimentos e habilidades presentes nas formas de consciência social e, também, as capacidades que estão na base da formação do pensamento teórico: reflexão, análise e experimento mental.

Mas. . . Como se desenvolve o Pensamento Teórico? Destacamos que, o processo de

Mas. . . Como se desenvolve o Pensamento Teórico? Destacamos que, o processo de formação do pensamento teórico deve, de forma intencional e planejada, se iniciar na educação infantil, porém esse processo só se desenvolve plenamente na adolescência. O pensamento teórico se expressa por conceitos e os mesmos são apropriados por meio do ensino, pois não se desenvolvem espontaneamente ou pelas simples representações advindas da sensorialidade. A qualidade do ensino dos conceitos sistematizados histórico-socialmente é, portanto, o requisito fundante do desenvolvimento do pensamento teórico.

Para a formação do pensamento teórico é necessário que a atividade de estudo seja

Para a formação do pensamento teórico é necessário que a atividade de estudo seja planejada e organizada, que tenha como finalidade a apropriação do conhecimento teórico. No início da vida escolar, a criança não tem a necessidade específica de assimilar conhecimentos teóricos, tal necessidade surge no processo real de apropriação desses conhecimentos. Exemplificando: se perguntarmos a uma criança pequena o que ela tem dentro do corpo, as respostas frequentes são: - osso; - tem comida, sangue e bichinhos(vermes); - tem o coração.

O ponto de partida da assimilação conceitual é, portanto, o enfrentamento de uma situação-problema.

O ponto de partida da assimilação conceitual é, portanto, o enfrentamento de uma situação-problema. O papel do professor, nesse processo, é propor tarefas de estudo que possibilitem aos estudantes a reconstrução do movimento dialético do pensamento, ou seja, a reprodução do caminho histórico de elaboração do conceito, como se fossem “co-participantes da busca científica”.

O pensamento em conceitos é o meio mais adequado para conhecer a realidade porque

O pensamento em conceitos é o meio mais adequado para conhecer a realidade porque penetra na essência interna dos objetos, já que a natureza dos mesmos não se revela na contemplação direta de um ou outro objeto isolado, senão por meio dos nexos e relações que se manifestam na dinâmica do objeto, em seu desenvolvimento vinculado a todo o resto da realidade. O vinculo interno das coisas se descobre com ajuda do pensamento por conceitos, já que elaborar um conceito sobre algum objeto, significa descobrir uma série de nexos e relações do objeto dado com toda a realidade, significa incluí-lo no complexo sistema dos fenômenos. (VYGOTSKI, 1996)

A Atividade Orientadora de Ensino como unidade dialética entre Atividade de Estudo e Atividade

A Atividade Orientadora de Ensino como unidade dialética entre Atividade de Estudo e Atividade de Ensino Um dos pressupostos que orienta esta teoria é que o processo educativo que gera desenvolvimento psíquico é aquele que coloca o sujeito em atividade, ou seja, gera no indivíduo motivos, ações, finalidades e operações para aprender. Para que o estudante entre em atividade, a intervenção do professor é essencial, e este também deve estar em atividade, nesse caso de ensino. ATIVIDADE DE ENSINO E DE ESTUDO unidade dialética

Para tanto, a atividade de estudo do aluno deve encontrar motivos correspondentes na atividade

Para tanto, a atividade de estudo do aluno deve encontrar motivos correspondentes na atividade de ensino do professor. Motivo: necessidade de o estudante se apropriar do conhecimento sócio-histórico, humanizando-se. Helen Allingham (Inglaterra, 1848 – 1926)

Nessa perspectiva teórica, a finalidade principal do ensino escolar deve ser a FORMAÇÃO DO

Nessa perspectiva teórica, a finalidade principal do ensino escolar deve ser a FORMAÇÃO DO PENSAMENTO TEÓRICO DOS ESTUDANTES, pois o ensino e a educação escolar determinam o desenvolvimento psíquico.

“Todo o conhecimento transmitido no processo de escolarização, só faz sentido se levar o

“Todo o conhecimento transmitido no processo de escolarização, só faz sentido se levar o aluno a ler nas entrelinhas, a perceber as contradições históricas que geraram esse próprio conhecimento e mesmo sua vinculação com o contexto em que está inserido, de forma a buscar transformação não somente na sua vida particular, mas na pratica social. ” (Facci, 2006).

E saber disso tudo, o que muda na prática do professor? ? ? O

E saber disso tudo, o que muda na prática do professor? ? ? O OLHAR

Com esse novo olhar. . . O professor deve compreender o seu objeto de

Com esse novo olhar. . . O professor deve compreender o seu objeto de estudo e trabalho ensino de conceitos para a formação do pensamento teórico e da constituição da consciência do estudante.

Referências FACCI, M. G. D. Vigotski e o processo ensino- aprendizagem: a formação e

Referências FACCI, M. G. D. Vigotski e o processo ensino- aprendizagem: a formação e conceitos. In: MENDONÇA, S. G. L. ; MILLER, s. (Orgs. ). Vigotski e a escola atual: fundamentos teóricos e implicações pedagógicas. Araraquara, SP: Junqueira & Marin, 2006. VYGOTSKI, L. S. Obras Escogidas. Tomo IV. Trad. Lydia Kuper. Madrid: Visor Dist. S. A. , 1996