Submisso de projetos de eficincia energtica em sistemas

  • Slides: 68
Download presentation
Submissão de projetos de eficiência energética em sistemas de saneamento às chamadas públicas do

Submissão de projetos de eficiência energética em sistemas de saneamento às chamadas públicas do PEE-ANEEL Jonas Gonçalves André Braga Galvão Silveira Ernani Ciríaco de Miranda Jessica Rocha Gama Maria Rita Cavaleiro de Ferreira Mousinho de Figueiredo

ATENÇÃO O presente estudo tem por base a versão vigente do Pro. PEE -

ATENÇÃO O presente estudo tem por base a versão vigente do Pro. PEE - Procedimentos do Programa de Eficiência Energética da Aneel - que está em fase de revisão. Passou por audiência pública no período de 14/12/2017 a 28/02/2018 cujo resultado deve ser publicado em junho de 2018.

Evolução do consumo com energia elétrica e despesas com energia elétrica dos prestadores de

Evolução do consumo com energia elétrica e despesas com energia elétrica dos prestadores de serviços participantes do SNIS de 2003 a 2016 Fonte: Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgotos, SNIS 2016

Composição média das despesas de exploração dos prestadores de serviços participantes do SNIS em

Composição média das despesas de exploração dos prestadores de serviços participantes do SNIS em 2016 Fonte: Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgotos, SNIS 2016

PEE – ANEEL – LEI 9991/2000 - Histórico de Investimentos Fonte: aneel. gov. br

PEE – ANEEL – LEI 9991/2000 - Histórico de Investimentos Fonte: aneel. gov. br (2017)

PEE – ANEEL – LEI 9991/2000 - Histórico de Investimentos Fonte: aneel. gov. br,

PEE – ANEEL – LEI 9991/2000 - Histórico de Investimentos Fonte: aneel. gov. br, 2017 Fonte: aneel. gov. br (2017)

PEE – ANEEL – LEI 9991/2000 - Histórico de Investimentos 57 Fonte: aneel. gov.

PEE – ANEEL – LEI 9991/2000 - Histórico de Investimentos 57 Fonte: aneel. gov. br, 2017 Fonte: aneel. gov. br (2017)

Distribuição dos Recursos Financeiros

Distribuição dos Recursos Financeiros

Chamada Pública de Projetos

Chamada Pública de Projetos

Subclasses de consumo Subclasses • Tração elétrica • Água, esgoto e saneamento

Subclasses de consumo Subclasses • Tração elétrica • Água, esgoto e saneamento

Distribuições de Recursos – Enel CE Fonte: CPP 002/2017, disponível em http: //enel-ce. chamadapublica.

Distribuições de Recursos – Enel CE Fonte: CPP 002/2017, disponível em http: //enel-ce. chamadapublica. com. br/

Distribuições de Recursos – Coelba Fonte: Chamada Pública de Projetos REE 001/2017, disponível em

Distribuições de Recursos – Coelba Fonte: Chamada Pública de Projetos REE 001/2017, disponível em http: //servicos. coelba. com. br

Distribuições de Recursos – Elektro Fonte: CPP 001/2017, ELEKTRO REDES. Regulamento, 2017.

Distribuições de Recursos – Elektro Fonte: CPP 001/2017, ELEKTRO REDES. Regulamento, 2017.

Distribuições de Recursos – Celesc Fonte: Chamada Pública PEE 001/2017, http: //site. celesc. com.

Distribuições de Recursos – Celesc Fonte: Chamada Pública PEE 001/2017, http: //site. celesc. com. br/peecelesc.

Vale a pena participar? • Prestadores sem fins lucrativos ØRecursos não onerosos • Prestadores

Vale a pena participar? • Prestadores sem fins lucrativos ØRecursos não onerosos • Prestadores com fins lucrativos ØContrato de desempenho

Contrato de performance! Performance Opcional Materiais ADM (contrato) Equipamentos Pré-diagnósticoia r ó l a

Contrato de performance! Performance Opcional Materiais ADM (contrato) Equipamentos Pré-diagnósticoia r ó l a gat Mão de obra M&V (validação) n o bri i c p >o M&V O > a> > Marketingros tári Ju one Descarte m o ã ç Treinamento e r r o C Transporte

Juros e correção monetária! % 6 Distribuidora CPP 18 Juro, 7 Correção 0 2

Juros e correção monetária! % 6 Distribuidora CPP 18 Juro, 7 Correção 0 2 % 2 > 2 R > 2 Celesc 001/2017 zero IGP-M , B s 0 A > e s A > me Enel CEPC 002/2017 ? ? s I ê 2 % m 1 9 8 Coelba o 001/2017 zero IPCA 8 1 , 0 N s em 1 2 % > 7 > IPCA Elektro do 002/2017 BR zero 5 , A > 0 ses a l u M s> e P m m G ê 2 u I c m 1 A o N s em o d a l u m u Ac

Vale a pena participar? • Principais dificuldades: Øcomplexidade dos editais de chamada pública; Preparar-se

Vale a pena participar? • Principais dificuldades: Øcomplexidade dos editais de chamada pública; Preparar-se antecipadamente a partir do edital da chamada Øprazos para elaboração e submissão dos projetos; ØBurocraciapública anterior ØMão de obra especializada Procurar empresas que ØAltos custos de projetos trabalham com risco

Cronograma (exemplo) Fonte: CPP 002/2017, Energisa Sul Sudeste, 2017.

Cronograma (exemplo) Fonte: CPP 002/2017, Energisa Sul Sudeste, 2017.

Exigências Adimplência Garantias Financeiras ias c n ê ig x ESCO CERTIDÕES NEGATIVAS m

Exigências Adimplência Garantias Financeiras ias c n ê ig x ESCO CERTIDÕES NEGATIVAS m e é s Prestador t n te Válidas o c ren l de Serviços a it ife Fornecedores de Materiais e d d e a 3 orçamentos Serviços certificadas na Norma d a C OHSAS 18. 000 Fornecedores Cadastrados

Repasse dos Recursos Aplicados Distribuidora de Energia Esco Fornecedores de Materiais Prestador de Serviços

Repasse dos Recursos Aplicados Distribuidora de Energia Esco Fornecedores de Materiais Prestador de Serviços Fornecedores de Serviços

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados

Repasse dos Recursos Aplicados ATENÇÃO ao cronograma de repasse de recursos da distribuidora para

Repasse dos Recursos Aplicados ATENÇÃO ao cronograma de repasse de recursos da distribuidora para a ESCO ou para o Prestador de Serviços. Pode haver necessidade de recursos próprios para pagamentos antecipados

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos 30 40 30 A 1 Relação custo-benefício proporcional 75% 75% 23 A 2 Relação custo-benefício ordenada 25% 7 25% ÍCIO F E N BE CUSTO =EE*CEE+DRP*CED Fonte: CPP 002/2017, Energisa Sul Sudeste, 2017.

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos 30 40 30 A 1 Relação custo-benefício proporcional 75% 75% 23 A 2 Relação custo-benefício ordenada 25% 7 25% ÍCIO F E N BE CUSTO AN UALIZADO

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos 30 40 30 A 1 Relação custo-benefício proporcional 75% 75% 23 A 2 Relação custo-benefício ordenada 25% 7 25% CUST RCB = _____ O O ÍCI F NE BE

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos 30 40 30 A 1 Relação custo-benefício proporcional 75% 75% 23 A 2 Relação custo-benefício ordenada 25% 7 25% PEE RCB = _____ O ÍCI F NE BE

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos 30 40 30 A 1 Relação custo-benefício proporcional 75% 75% 23 A 2 Relação custo-benefício ordenada 25% 7 25%

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos

Critérios de Avaliação Relação Custo-Benefício Critério A Descrição Relação custo-benefício Mín Máx Energisa Pontos 30 40 30 A 1 Relação custo-benefício proporcional 75% 75% 23 A 2 Relação custo-benefício ordenada 25% 7 25%

Critérios de Avaliação Investimentos em Equipamentos Critério B Descrição Peso do investimento em equipamentos

Critérios de Avaliação Investimentos em Equipamentos Critério B Descrição Peso do investimento em equipamentos no custo total Mín Máx Energisa Pontos 5 10 10 10

Critérios de Avaliação Benefícios Energéticos Critério C Descrição Impacto direto dos benefícios energéticos C

Critérios de Avaliação Benefícios Energéticos Critério C Descrição Impacto direto dos benefícios energéticos C 1 Impacto na economia de energia Impacto na redução de demanda na C 2 ponta Mín Máx Energisa Pontos 10 20 15 50% 70% 60% 9 30% 50% 40% 6

Critérios de Avaliação Benefícios Energéticos Critério C Descrição Impacto direto dos benefícios energéticos C

Critérios de Avaliação Benefícios Energéticos Critério C Descrição Impacto direto dos benefícios energéticos C 1 Impacto na economia de energia Impacto na redução de demanda na C 2 ponta Mín Máx Energisa Pontos 10 20 15 50% 70% 60% 9 30% 50% 40% 6

Critérios de Avaliação Benefícios Energéticos Critério C Descrição Impacto direto dos benefícios energéticos C

Critérios de Avaliação Benefícios Energéticos Critério C Descrição Impacto direto dos benefícios energéticos C 1 Impacto na economia de energia Impacto na redução de demanda na C 2 ponta Mín Máx Energisa Pontos 10 20 15 50% 70% 60% 9 30% 50% 40% 6

Critérios de Avaliação Qualidade do Projeto Critério Descrição D Qualidade na apresentação do projeto

Critérios de Avaliação Qualidade do Projeto Critério Descrição D Qualidade na apresentação do projeto Mín Máx Energisa Pontos 8 15 10 D 1 Qualidade global do projeto 20% 30% 25% 3 D 2 Bases do projeto Consistência do cronograma D 3 apresentado D 4 Estratégia de M&V apresentada 20% 30% 25% 3 30% 40% 30% 2

Critérios de Avaliação Qualidade do Projeto Critério Descrição D Qualidade na apresentação do projeto

Critérios de Avaliação Qualidade do Projeto Critério Descrição D Qualidade na apresentação do projeto Mín Máx Energisa Pontos 8 15 10 D 1 Qualidade global do projeto 20% 30% 25% 3 D 2 Bases do projeto Consistência do cronograma D 3 apresentado D 4 Estratégia de M&V apresentada 20% 30% 25% 3 30% 40% 30% 2

Critérios de Avaliação Qualidade do Projeto Critério Descrição D Qualidade na apresentação do projeto

Critérios de Avaliação Qualidade do Projeto Critério Descrição D Qualidade na apresentação do projeto Mín Máx Energisa Pontos 8 15 10 D 1 Qualidade global do projeto 20% 30% 25% 3 D 2 Bases do projeto Consistência do cronograma D 3 apresentado D 4 Estratégia de M&V apresentada 20% 30% 25% 3 30% 40% 30% 2

Critérios de Avaliação Qualidade do Projeto Critério Descrição D Qualidade na apresentação do projeto

Critérios de Avaliação Qualidade do Projeto Critério Descrição D Qualidade na apresentação do projeto Mín Máx Energisa Pontos 8 15 10 D 1 Qualidade global do projeto 20% 30% 25% 3 D 2 Bases do projeto Consistência do cronograma D 3 apresentado D 4 Estratégia de M&V apresentada 20% 30% 25% 3 30% 40% 30% 2

Critérios de Avaliação Qualidade do Projeto Critério Descrição D Qualidade na apresentação do projeto

Critérios de Avaliação Qualidade do Projeto Critério Descrição D Qualidade na apresentação do projeto Mín Máx Energisa Pontos 8 15 10 D 1 Qualidade global do projeto 20% 30% 25% 3 D 2 Bases do projeto Consistência do cronograma D 3 apresentado D 4 Estratégia de M&V apresentada 20% 30% 25% 3 30% 40% 30% 2

Critérios de Avaliação Barreiras de Mercado Critério Descrição Capacidade para superar barreiras E de

Critérios de Avaliação Barreiras de Mercado Critério Descrição Capacidade para superar barreiras E de mercado e efeito multiplicador Eficácia na quebra de barreiras de E 1 mercado Induz comportamentos de uso E 2 eficiente da energia Destina-se a segmentos com E 3 barreiras mais relevantes Mín Máx Energisa Pontos 0 5 5 0% 100% 40% 2 0% 100% 20% 1

Critérios de Avaliação Barreiras de Mercado Critério Descrição Capacidade para superar barreiras E de

Critérios de Avaliação Barreiras de Mercado Critério Descrição Capacidade para superar barreiras E de mercado e efeito multiplicador Eficácia na quebra de barreiras de E 1 mercado Induz comportamentos de uso E 2 eficiente da energia Destina-se a segmentos com E 3 barreiras mais relevantes Mín Máx Energisa Pontos 0 5 5 0% 100% 40% 2 0% 100% 20% 1

Critérios de Avaliação Barreiras de Mercado Critério Descrição Capacidade para superar barreiras E de

Critérios de Avaliação Barreiras de Mercado Critério Descrição Capacidade para superar barreiras E de mercado e efeito multiplicador Eficácia na quebra de barreiras de E 1 mercado Induz comportamentos de uso E 2 eficiente da energia Destina-se a segmentos com E 3 barreiras mais relevantes Mín Máx Energisa Pontos 0 5 5 0% 100% 40% 2 0% 100% 20% 1

Critérios de Avaliação Barreiras de Mercado Critério Descrição Capacidade para superar barreiras E de

Critérios de Avaliação Barreiras de Mercado Critério Descrição Capacidade para superar barreiras E de mercado e efeito multiplicador Eficácia na quebra de barreiras de E 1 mercado Induz comportamentos de uso E 2 eficiente da energia Destina-se a segmentos com E 3 barreiras mais relevantes Mín Máx Energisa Pontos 0 5 5 0% 100% 40% 2 0% 100% 20% 1

Critérios de Avaliação Experiência em projetos semelhantes Critério Descrição F Experiência em projetos semelhantes

Critérios de Avaliação Experiência em projetos semelhantes Critério Descrição F Experiência em projetos semelhantes Mín Máx Energisa Pontos 10 20 10 F 1 Experiência nos usos finais propostos 30% 40% F 2 Experiência no PEE 20% 30% F 3 Certificação CMPV da EVO 20% 30% 4 20% 2 F 4 Outras certificações pertinentes 20% 2 20% 30%

Critérios de Avaliação Experiência em projetos semelhantes Critério Descrição F Experiência em projetos semelhantes

Critérios de Avaliação Experiência em projetos semelhantes Critério Descrição F Experiência em projetos semelhantes Mín Máx Energisa Pontos 10 20 10 F 1 Experiência nos usos finais propostos 30% 40% F 2 Experiência no PEE 20% 30% F 3 Certificação CMPV da EVO 20% 30% 4 20% 2 F 4 Outras certificações pertinentes 20% 2 20% 30%

Critérios de Avaliação Experiência em projetos semelhantes OBRIGATÓRIO Mín Máx Energisa Pontos Critério Descrição

Critérios de Avaliação Experiência em projetos semelhantes OBRIGATÓRIO Mín Máx Energisa Pontos Critério Descrição F Experiência em projetos semelhantes 10 20 10 F 1 Experiência nos usos finais propostos 30% 40% F 2 Experiência no PEE 20% 30% F 3 Certificação CMPV da EVO 20% 30% 4 20% 2 F 4 Outras certificações pertinentes 20% 2 20% 30%

Critérios de Avaliação Experiência em projetos semelhantes Critério Descrição F Experiência em projetos semelhantes

Critérios de Avaliação Experiência em projetos semelhantes Critério Descrição F Experiência em projetos semelhantes Mín Máx Energisa Pontos 10 20 10 F 1 Experiência nos usos finais propostos 30% 40% F 2 Experiência no PEE 20% 30% F 3 Certificação CMPV da EVO 20% 30% 4 20% 2 F 4 Outras certificações pertinentes 20% 2 20% 30%

Critérios de Avaliação Experiência em projetos semelhantes Critério Descrição F Experiência em projetos semelhantes

Critérios de Avaliação Experiência em projetos semelhantes Critério Descrição F Experiência em projetos semelhantes Mín Máx Energisa Pontos 10 20 10 F 1 Experiência nos usos finais propostos 30% 40% F 2 Experiência no PEE 20% 30% F 3 Certificação CMPV da EVO 20% 30% 4 20% 2 F 4 Outras certificações pertinentes 20% 2 20% 30%

Critérios de Avaliação Contrapartida Critério G Descrição Contrapartida Mín Máx Energisa Pontos 10 20

Critérios de Avaliação Contrapartida Critério G Descrição Contrapartida Mín Máx Energisa Pontos 10 20 10 10

Critérios de Avaliação Usos finais Critério H ) 1 (Máx Energisa Descrição Mín o

Critérios de Avaliação Usos finais Critério H ) 1 (Máx Energisa Descrição Mín o s e o Diversidade e priorização de usos finais p 5 s 10 5 e r p o r n o e i a m : m o : ã s ç a d na a i v i m t n Ilu e c n I s e t n Fo Pontos 5

Critérios de Avaliação Usos finais Critério H Descrição Diversidade e priorização de usos finais

Critérios de Avaliação Usos finais Critério H Descrição Diversidade e priorização de usos finais Mín Máx Energisa Pontos 5 10 5 5

Critérios de Avaliação Ações educacionais, divulgação e gestão Critério I Descrição Mín Máx Energisa

Critérios de Avaliação Ações educacionais, divulgação e gestão Critério I Descrição Mín Máx Energisa Pontos Ações educacionais, divulgação e gestão 5 10 5 5

Critérios de Avaliação Ações educacionais, divulgação e gestão Critério I Descrição Mín Máx Energisa

Critérios de Avaliação Ações educacionais, divulgação e gestão Critério I Descrição Mín Máx Energisa Pontos Ações educacionais, divulgação e gestão 5 10 5 5

Resultado - Celg – CPP 002/2016 -APROVADOS TIPOLOGIA COMERCIAL / RESIDENCIAL CLIENTE/UNIDADE Tipologia Fontes

Resultado - Celg – CPP 002/2016 -APROVADOS TIPOLOGIA COMERCIAL / RESIDENCIAL CLIENTE/UNIDADE Tipologia Fontes Nota CONSUMIDORA Incentivadas RCB Investimento PEE (R$) 1º UNIEVANGÉLICA Comercial Sim 70, 58 0, 60 R$ 6. 597. 707, 44 2º SANTA CASA DE Comercial Não 68, 46 0, 48 R$ 1. 093. 701, 02 GOI NIA 3º PUC GOIÁS (VARIAS Comercial Não 58, 65 0, 64 R$ 4. 350. 771, 53 UCS) 4º ESCOLA SESI Comercial Sim 57, 20 0, 73 R$ 1. 304. 368, 83 CAMPINAS 5º SANATÓRIO Comercial Não 54, 61 0, 77 R$ 512. 548, 57 ESPIRITA DE ANÁPOLIS 6º SESC CIDADANIA Comercial Não 43, 62 0, 79 R$ 1. 041. 968, 65 TIPOLOGIA ILUMINAÇÃO PÚBLICA / PODER PÚBLICO / SERVIÇO PÚBLICO / RURAL CLIENTE/UNIDADE Tipologia Fontes Nota RCB Investimento PEE (R$) CONSUMIDORA Incentivadas 1º SANEAGO (ETA Serviço Sim 93, 16 0, 68 R$ 10. 127. 671, 25 JATAÍ, ETA INDIARA, Público EAT IPIRANGA, EAT ANHANGUERA)

Resultado - Celg – CPP 002/2016 - REPROVADOS Consumidor / Proponente Eficiência Solidária Itinerante

Resultado - Celg – CPP 002/2016 - REPROVADOS Consumidor / Proponente Eficiência Solidária Itinerante - Bioterra Colégio Marista - Graphus Motivos da desclassificação Não apresentação dos orçamentos dos custos computados como contrapartida. Não apresentação da Carta do consumidor/proponente (assinada por seu representante legal) ou parecer jurídico, concordando com os termos constantes no instrumento de convênio a ser firmado com a CELG D O cálculo da redução de demanda na ponta - RDP está inconsistente com os valores de fatura da Unidade Consumidora Sesc Caldas Novas - O cálculo da redução de demanda na ponta - RDP está inconsistente com AGES os valores de fatura da Unidade Consumidora Sede Administrativa do O cálculo da redução de demanda na ponta - RDP está inconsistente com Sesc Goiânia - AGES os valores de fatura da Unidade Consumidora Universidade Federal Proposta para iluminação pública deve ser apresentada em projeto de Goiás - DEODE específico, separadas de outras ações Palácio Pedro Ludovico O cálculo da redução de demanda na ponta - RDP está inconsistente com Teixeira - AGES os valores de fatura da Unidade Consumidora

Outras causas de erros Nível de tensão da Unidade x CEE/CED Fonte: CPP 001/2017,

Outras causas de erros Nível de tensão da Unidade x CEE/CED Fonte: CPP 001/2017, ELEKTRO REDES. Regulamento, 2017.

Outras causas de erros Taxa de Desconto Utilizada Fonte: CPP 001/2017, ELEKTRO REDES. Regulamento,

Outras causas de erros Taxa de Desconto Utilizada Fonte: CPP 001/2017, ELEKTRO REDES. Regulamento, 2017.

Outras causas de erros Limitações de recursos para algumas rubricas Fonte: CPP 001/2017, ELEKTRO

Outras causas de erros Limitações de recursos para algumas rubricas Fonte: CPP 001/2017, ELEKTRO REDES. Regulamento, 2017. Marketing, Relação Materiais/MO, MOPrópria, Transporte, etc

Outras causas de erros Limitações de recursos para algumas rubricas Fonte: CPP 001/2017, ELEKTRO

Outras causas de erros Limitações de recursos para algumas rubricas Fonte: CPP 001/2017, ELEKTRO REDES. Regulamento, 2017. Marketing, Relação % R$Materiais/R$Projeto, MOPrópria, Transporte, etc.

Outras causas de erros Certidões Negativas, Termos de Aceite, Anexo B Etc. . .

Outras causas de erros Certidões Negativas, Termos de Aceite, Anexo B Etc. . . Fonte: CPP 001/2017, ELEKTRO REDES. Regulamento, 2017.

Recomendações Sistemas de Gestão de CPP • Conheça a forma de envio dos documentos?

Recomendações Sistemas de Gestão de CPP • Conheça a forma de envio dos documentos? Internet, correios, protocolo, . . . • Participe da audiência pública • Envie suas dúvidas da forma protocolar • Navegue pelo sistema de gestão, se existente! Documentos fracionados, extensões permitidas (pdf, zip) • Atenção para a data/hora limite de envio Após às 18: 00 não há atendimento (helpdesk) Estabeleça um prazo interno menor.

OBRIGADO! Jonas Gonçalves Assessor Técnico do Pro. EESA – Programa de Eficiência Energética em

OBRIGADO! Jonas Gonçalves Assessor Técnico do Pro. EESA – Programa de Eficiência Energética em Sistemas de Abastecimento de Água [email protected] de (18) 9 9119 9183 (61) 2104 1057 ícones: https: //icons 8. com. br