Prof Eduardo Furtado Flores Prof Carlos Augusto Mallmann

  • Slides: 23
Download presentation
Prof. Eduardo Furtado Flores Prof. Carlos Augusto Mallmann

Prof. Eduardo Furtado Flores Prof. Carlos Augusto Mallmann

Suspeita da Relação Causal A (fator) B (doença) ASSOCIAÇÃO CAUSAL? ? ?

Suspeita da Relação Causal A (fator) B (doença) ASSOCIAÇÃO CAUSAL? ? ?

INVESTIGAÇÃO DE FATORES DETERMINANTES - MÉTODO EXPERIMENTAL - MÉTODOS OBSERVACIONAIS - TRANSVERSAIS ou SECCIONAIS

INVESTIGAÇÃO DE FATORES DETERMINANTES - MÉTODO EXPERIMENTAL - MÉTODOS OBSERVACIONAIS - TRANSVERSAIS ou SECCIONAIS - INQUÉRITOS EPIDEMIOLÓGICOS - LONGITUDINAIS - ESTUDOS DE COORTES - ESTUDOS DE CASOS-CONTROLE

MÉTODO EXPERIMENTAL HIPÓTESE: Fator A (causa) Como COMPROVAR? ? ? B Efeito (doença)

MÉTODO EXPERIMENTAL HIPÓTESE: Fator A (causa) Como COMPROVAR? ? ? B Efeito (doença)

Introduz-se o Fator A Mede-se o Efeito B

Introduz-se o Fator A Mede-se o Efeito B

EFEITO/PAR METRO A SER MEDIDO: - CLÍNICO (SINAIS, INTENSIDADE, FREQÜÊNCIA) - MORBIDADE - MORTALIDADE

EFEITO/PAR METRO A SER MEDIDO: - CLÍNICO (SINAIS, INTENSIDADE, FREQÜÊNCIA) - MORBIDADE - MORTALIDADE - DESEMPENHO (GANHO DE PESO, CONVERSÃO ALIMENTAR) - FERTILIDADE, ETC COMPARA-SE COM O GRUPO CONTROLE OU TESTEMUNHA

VANTAGENS - CONDIÇÕES CONTROLADAS (A, MA, H) - ELIMINA OUTRAS VARIÁVEIS - DEIXA A

VANTAGENS - CONDIÇÕES CONTROLADAS (A, MA, H) - ELIMINA OUTRAS VARIÁVEIS - DEIXA A RELAÇÃO SIMPLES: A>B RESTRIÇÕES - NÃO REPRODUZ AS CONDIÇÕES NATURAIS - APLICAÇÃO RESTRITA (ÉTICA) - CUSTO ELEVADO - DOENÇAS COM LONGO PERÍODO DE INCUBAÇÃO

POR ESSAS RAZÕES, A EXPERIMENTAÇÃO É MUITAS VEZES INVIÁVEL. OPÇÕES? ? MÉTODOS OBSERVACIONAIS

POR ESSAS RAZÕES, A EXPERIMENTAÇÃO É MUITAS VEZES INVIÁVEL. OPÇÕES? ? MÉTODOS OBSERVACIONAIS

MÉTODOS OBSERVACIONAIS - TRANSVERSAIS ou SECCIONAIS - INQUÉRITOS EPIDEMIOLÓGICOS - LONGITUDINAIS - PROSPECTIVOS (ESTUDOS

MÉTODOS OBSERVACIONAIS - TRANSVERSAIS ou SECCIONAIS - INQUÉRITOS EPIDEMIOLÓGICOS - LONGITUDINAIS - PROSPECTIVOS (ESTUDOS DE COORTES) - RETROSPECTIVOS (ESTUDOS DE CASOS-CONTROLE)

INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO SINÔNIMOS: Estudo de PREVALÊNCIA Estudo SECCIONAL ou TRANSVERSAL ESTUDO QUE VISA DETERMINAR

INQUÉRITO EPIDEMIOLÓGICO SINÔNIMOS: Estudo de PREVALÊNCIA Estudo SECCIONAL ou TRANSVERSAL ESTUDO QUE VISA DETERMINAR A FREQÜÊNCIA DE UM ASPECTO RELATIVO A SAÚDE DE UMA POPULAÇÃO EM UM DETERMINADO MOMENTO

ASPECTOS MAIS ESTUDADOS - DOENÇA - ANTICORPOS - PRESENÇA DO AGENTE - EXPOSIÇÃO A

ASPECTOS MAIS ESTUDADOS - DOENÇA - ANTICORPOS - PRESENÇA DO AGENTE - EXPOSIÇÃO A FATORES DE RISCO RESULTADO - ÍNDICE DE PREVALÊNCIA USOS - DIAGNÓSTICOS DE SITUAÇÃO - AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE CONTROLE

ESTUDOS LONGITUDINAIS - PROSPECTIVOS (ESTUDOS DE COORTES) - RETROSPECTIVOS (ESTUDOS DE CASOS-CONTROLE)

ESTUDOS LONGITUDINAIS - PROSPECTIVOS (ESTUDOS DE COORTES) - RETROSPECTIVOS (ESTUDOS DE CASOS-CONTROLE)

EM ALGUNS CASOS, SÃO A ÚNICA ALTERNATIVA - DOENÇAS COM LONGO PERÍODO DE INCUBAÇÃO

EM ALGUNS CASOS, SÃO A ÚNICA ALTERNATIVA - DOENÇAS COM LONGO PERÍODO DE INCUBAÇÃO - DOENÇAS HUMANAS - DOENÇAS DE BAIXA INCIDÊNCIA - BAIXO RISCO POR EXPOSIÇÃO AO FATOR SUSPEITO - DOENÇAS COM MÚLTIPLAS CAUSAS/FATORES

Exemplos: - Exposição solar/câncer de pele - Alcoolismo/impotência sexual - Tabaco/enfisema pulmonar - Tabaco/

Exemplos: - Exposição solar/câncer de pele - Alcoolismo/impotência sexual - Tabaco/enfisema pulmonar - Tabaco/ DCV - Tumor de mama/amamentação - Tumor de mama/anticoncepcionais - CIS / anticoncepcionais - Terapia hormonal/tumores - Vinho/longevidade - Tumor de mama/alimentação -Tumor de esôfago/chimarrão - Café/risco de AVC, DCV

ESTUDO DE COORTES - ESTUDO OBSERVACIONAL, LONGITUDINAL PROSPECTIVO - OBJETIVO: - IDENTIFICAÇÃO DE FATORES

ESTUDO DE COORTES - ESTUDO OBSERVACIONAL, LONGITUDINAL PROSPECTIVO - OBJETIVO: - IDENTIFICAÇÃO DE FATORES DE RISCO ASSOCIADOS ÀS ENFERMIDADES - PROCEDIMENTO: - INFORMAÇÕES RESULTANTES: - RISCO RELATIVO (DEFINIÇÃO, CÁLCULO, SIGNIFICADO) - RISCO ATRIBUÍVEL (DEFINIÇÃO, CÁLCULO, SIGNIFICADO)

PROPRIEDADES - ÚNICO MÉTODO DIRETO P/ DETERMINAR A INCIDÊNCIA - SEGUE A MESMA LÓGICA

PROPRIEDADES - ÚNICO MÉTODO DIRETO P/ DETERMINAR A INCIDÊNCIA - SEGUE A MESMA LÓGICA DA EXPERIMENTAÇÃO -PODE-SE ESTUDAR A RELAÇÃO DO FATOR COM VÁRIAS DOENÇAS SIMULTANEAMENTE - AS CONDIÇÕES SÃO NATURAIS

LIMITAÇÕES - DIFICULDADE DE ACOMPANHAMENTO DOS INDIVÍDUOS - LONGA DURAÇÃO - QUALIDADE DA INFORMAÇÃO

LIMITAÇÕES - DIFICULDADE DE ACOMPANHAMENTO DOS INDIVÍDUOS - LONGA DURAÇÃO - QUALIDADE DA INFORMAÇÃO

ESTUDO DE CASOS-CONTROLES - ESTUDO OBSERVACIONAL, LONGITUDINAL, REPROSPECTIVO - OBJETIVOS: IDENTIFICAÇÃO DE FATORES DE

ESTUDO DE CASOS-CONTROLES - ESTUDO OBSERVACIONAL, LONGITUDINAL, REPROSPECTIVO - OBJETIVOS: IDENTIFICAÇÃO DE FATORES DE RISCO - PROCEDIMENTO: - Parte de CASOS já diagnosticados e sadios (CONTROLES) - Busca no passado a frequência de exposição ao FATOR Por isso é RETROSPECTIVO - INFORMAÇÕES RESULTANTES:

FONTES DE INFORMAÇÃO - ENTREVISTAS - QUESTIONÁRIOS - REGISTROS MÉDICOS - REGISTROS OFICIAIS APLICAÇÕES/USOS

FONTES DE INFORMAÇÃO - ENTREVISTAS - QUESTIONÁRIOS - REGISTROS MÉDICOS - REGISTROS OFICIAIS APLICAÇÕES/USOS - DOENÇAS CRÔNICAS, BAIXA INCIDÊNCIA - LONGO PERÍODO DE INCUBAÇÃO - PODE-SE ESTUDAR VÁRIOS FATORES SIMULTANEAMENTE - CUSTO BAIXO, EXECUÇÃO RÁPIDA

LIMITAÇÕES - QUALIDADE DA INFORMAÇÃO - FALTA DE REGISTROS

LIMITAÇÕES - QUALIDADE DA INFORMAÇÃO - FALTA DE REGISTROS

INVESTIGAÇÃO DE FATORES DETERMINANTES - MÉTODO EXPERIMENTAL - MÉTODOS OBSERVACIONAIS - TRANSVERSAIS ou SECCIONAIS

INVESTIGAÇÃO DE FATORES DETERMINANTES - MÉTODO EXPERIMENTAL - MÉTODOS OBSERVACIONAIS - TRANSVERSAIS ou SECCIONAIS - INQUÉRITOS EPIDEMIOLÓGICOS - LONGITUDINAIS - ESTUDOS DE COORTES - ESTUDOS DE CASOS-CONTROLE

Prof. Eduardo Furtado Flores Prof. Carlos Augusto Mallmann

Prof. Eduardo Furtado Flores Prof. Carlos Augusto Mallmann