Plano de Relacionamento com Comunidade Vale Mangans Simes

  • Slides: 40
Download presentation
Plano de Relacionamento com Comunidade Vale Manganês – Simões Filho Raquel Gonzaga & João

Plano de Relacionamento com Comunidade Vale Manganês – Simões Filho Raquel Gonzaga & João Bosco Mesquita 1 Simões Filho, 01/2016

2. Relacionamento Ações que já desenvolvemos Nosso relacionamento com a Prefeitura Ocorrências nas comunidades

2. Relacionamento Ações que já desenvolvemos Nosso relacionamento com a Prefeitura Ocorrências nas comunidades Como atuam as empresas em Simões Filho 3. Momento atual Cenário Vale e Manganês Análise de cenário Desafios 4. Plano de relacionamento Qual nossa área de abrangência & comunidades O queremos - objetivos a atingir Como faremos – estratégia & ações Com base em que – premissas & posicionamento Horizontes – perspectivas para o Plano de Relacionamento 5. Desdobramento estratégico 2 Gestão de stakeholders - Processo metodológico gend 1. A Unidade de Simões Filho Nossa história Onde estamos

1 A Unidade de Simões Filho Nossa história Onde estamos 3

1 A Unidade de Simões Filho Nossa história Onde estamos 3

Nossa história Inauguração oficial no dia 13 de março Privatização. Venda para a Companhia

Nossa história Inauguração oficial no dia 13 de março Privatização. Venda para a Companhia Paulista de Ferroligas (CPFL) Mudança de nome e integração ao negocio do manganês da CVRD. De SIBRA para Rio Doce Manganês S. A (RDM) Entra em operação a “Planta III” Em 2015 a Unidade celebrará 45 anos de história Inauguração da Sinterização Ocorre a privatização da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) 1963 1971 1972 1988 Entra em operação a “Planta II” Fundação da SIBRA Eletrosiderurgica Brasileira S. A 4 1989 1994 1995 1997 1999 2003 2004 2006 2016 A Rio Doce Manganês assume a marca Vale Construção do conversor Companhia Vale do Rio Doce & USIMINAS assumem o controle. 2008 Negociação para a saída da USIMINAS da sociedade. Concluída em dezembro Recebe prêmios: Maior Produtora de Ferroligas de Manganês da América Latina & Desempenho como Maior Empresa da Bahia

Onde estamos Fonte: Site IBGE A Unidade da Vale Manganês está instalada no município

Onde estamos Fonte: Site IBGE A Unidade da Vale Manganês está instalada no município de Simões Filho. Emancipação: 07 de novembro de 1961 Prefeito: José Eduardo M. de Alencar/PSD – no 5º exercício Faz parte do Centro Industrial de Aratu – CIA, complexo industrial multissetorial fundado em 1967. Possui 144 empresas que geram, aproximadamente, 13. 530 empregos com mão de obra direta. 5 Mapa de localização geográfica do município.

Onde estamos Créditos: Site Prefeitura Municipal de Simões FIlho Habitantes: 118 mil aproximadamente PIB:

Onde estamos Créditos: Site Prefeitura Municipal de Simões FIlho Habitantes: 118 mil aproximadamente PIB: 4. 023. 462 milhões - entre os 10 maiores da Bahia Em 2012, 4º lugar no Estado em arrecadação de ICMS: $48. 287. 028, 02 milhões Nº de empresas atuantes: 2. 886 Nº de assalariados: 36. 108 Salário médio: 2, 5 salários mínimos IDHM 2010: 0, 675 Praça central Segurança: Até 2012: considerada a 1ª cidade do Brasil em violência. Em 2014 passou a ocupar a 3ª posição* * Observação: Dados do Mapa da Violência 2014, elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com base em informações de 2012, revelam que a Bahia continua com níveis altíssimos de homicídios. Apesar dos números negativos, neste ano o Estado deixou de ser o primeiro no ranking dos municípios com maior taxa de assassinatos do Brasil. No levantamento de 2012 Simões Filho liderava o ranking, em 2014 o município passou a ocupar a terceira posição, com a razão de 131 mil mortes por 100 mil habitantes. Em segundo lugar, aparece outro município baiano: Mata de São João, que marca a taxa em 149, 3. Informações do Mapa da Violência foram retirados do Sistema de Informações de Mortalidade do Ministério da Saúde. O país é a 7º nação mais violenta do mundo, de acordo com o relatório. 6 Fontes dos dados: sites IBGE, Prefeitura Municipal de Simões Filho e Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia/SEI - Bahia em números

2 Relacionamento Ações que já desenvolvemos Nosso relacionamento com a Prefeitura Ocorrências nas comunidades

2 Relacionamento Ações que já desenvolvemos Nosso relacionamento com a Prefeitura Ocorrências nas comunidades Como atuam as empresas em Simões Filho 7

Até 2003 nenhuma ação de relacionamento havia sido realizada pela Unidade de Simões Filho.

Até 2003 nenhuma ação de relacionamento havia sido realizada pela Unidade de Simões Filho. Apenas ações isoladas cujo objetivo era manter uma relação institucional com o município, sem que houvesse planejamento ou alinhamento estratégico no seu desenvolvimento. Ações que já desenvolvemos 2003 Pesquisa de Clima empregados insatisfeitos com a relação da empresa com as comunidades; Atendidos 8 pleitos na categoria Patrocínio & Apoio; Realizada 1ª visita de líderes comunitários – ação de esclarecimento sobre as operações e emissões de “pó”; 8 2004 Implantado Programa Voluntários Vale; Percepções: 1. Forte passivo ambiental - Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado em 2000 com o MP; 2. Forte passivo em termos de condições de trabalho – alto numero de acidentes, o que impactava a percepção dos steakholders que chamavam a Unidade de “fábrica de viúvas”; 2005 Implantado Vale Informática, Programa da Fundação Vale, em Cotegipe (Simões Filho/BA); Ocorre o 1º repasse para o Fundo da Infância e da Adolescência/FIA; Implantado Vale Ser Transparente, linha de ação do Programa Vale Comunidade, que previa encontro com lideranças e visitas das comunidades; Citação do Programa Cidade Vale Mais parceria com a Fundação Vale e FCA; 2006 2007 Implantado o Vale Informática na Fundação Terra Mirim (Simões Filho/BA); Implantado o Vale Informática em Mapele (Simões Filho/BA); Pesquisa de clima: melhoria no índice de satisfação dos empregados sobre a relação comunidades; Doação de computadores para melhoria da estrutura da escola de Cotegipe; Reforço do relacionamento através do Vale Comunidade - visitas e encontros com lideres comunitários; Cobrança de definição sobre realização do Programa Cidade Vale Mais - plano de desenvolvimento para o município; 2008 Encerramento da parceria da Fundação Vale com a CDI Informática. Continuidade do apoio às escolas de Informática em Simões Filho/BA como ações de relacionamento; Definição do 1º planejamento estratégico de relação comunidade para 2008/2009 – Vale Comunidade, visitas, Vale Informática, Voluntários, FIA;

A partir do plano estratégico 2008/2009 as ações tem foco econômico, social e de

A partir do plano estratégico 2008/2009 as ações tem foco econômico, social e de relacionamento. Envolvem empregados, comunidade e poder público. Contudo, em 2012 as ações são encerradas e os investimentos nas comunidades suspensos. Em 2015 inicio do desenvolvimento do Plano de Relacionamento com Comunidade. Ações que já desenvolvemos 2009 Vale Informática continuidade parceria CDI em Cotegipe, na Fundação Terra Mirim e em Mapele. * Interrupção em Cotegipe - problemas com estrutura da escola. Plano estratégico 2008/2009 já sinaliza como ameaças: invasões, desconhecimento das ações sociais desenvolvidas pela empresa, comunidade com residências muito próximas à Unidade; 9 2010 Vale Informática apenas na Fundação Terra Mirim que recebe apoio direto da Vale Manganês para suporte ao projeto; Programa de visitas em andamento; Voluntários Vale realizam ação de doação (fogão para a ADESF) Plano estratégico: nova analise de swot e alinhamento estratégico; 2011 Vale Informática Continuidade da parceria com a Fundação Terra Mirim. Realizada a Caravana Verde e Amarela na Praça da Bíblia em Simões Filho; Programa de visitas em andamento (420 visitantes de 23 escolas) ; Voluntários Vale ações pelo DIA V & Natal solidário; Ação de relacionamento aniversário de 50 anos de emancipação de Simões Filho/BA 2012 Doação equipamentos informática para ONG JOVA de Mapele. Os computadores seriam instalados no Centro Comunitário da Petrobras; Realizada a Caravana Verde e Amarela Programa de visitas em andamento (232 visitantes de 13 escolas); Voluntários Vale ações pelo DIA V & Natal solidário; Ação de relacionamento aniversário de Simões Filho/BA Ultimo repasse FIA no valor de R$ 100. 000, 00 2013 A partir deste ano são encerradas as ações de relacionamento e os investimentos nas comunidades. 2015 Doação de escória à Prefeitura pavimentação de vias publicas; Atendimento a demandas da comunidade como poda de arvores em situação de risco, por exemplo;

Em 2010 foi realizado encontro entre Unidade x Prefeitura com o intuito de estreitar

Em 2010 foi realizado encontro entre Unidade x Prefeitura com o intuito de estreitar relacionamento. Neste encontro o poder publico fez algumas solicitações. A Unidade mantém boa relação institucional com o órgão e as solicitações de ambas são sempre recebidas e analisadas pelas partes. Nosso relacionamento com a Prefeitura Principais solicitações da Prefeitura: • • • 10 Apoio em obras de saneamento: requerimento de fornecimento de tanques reservatórios de água/casas obras do PAC Organização dos agricultores : Prefeitura é obrigada a comprar dos agricultores locais produtos para a merenda escolar. Demandou que a Vale Manganês contribuísse na organização destes agricultores; Fornecimento de água: solicitação para que a Unidade fornecesse água à comunidade de Fazenda Dames; Iluminação: realização de iluminação na via paralela à BR 324 que dá acesso à Unidade; Doação de terreno: a Vale Manganês possui um terreno de aproximadamente 20. 000 m² localizado no centro de Simões Filho. Prefeitura solicitou a doação do terreno para construção de um complexo policial. Área total: 48. 050 m² Doação de escória: para pavimentação de vias no município Terreno solicitado pela Prefeitura

Ao longo dos anos foram registradas algumas ocorrências no entorno da Unidade de Simões

Ao longo dos anos foram registradas algumas ocorrências no entorno da Unidade de Simões Filho e nas comunidades de sua área de abrangência. A compreensão destes fatos contribui para o entendimento da realidade destas localidades e sua relação com a empresa. Ocorrências nas comunidades 2008: Moradores de Mapele iniciam garimpo ilegal de escória de manganês nas vias da comunidade. Horta Fazenda Dames Localizada horta dentro da área de Unidade, abaixo da linha de transmissão da CHESF, histórico de 10 anos de plantio; 2015 - Identificadas 10 pessoas como responsáveis pelo plantio; ação judicial iniciada para retirada e posse da área. Invasões e roubos 11

Ocorrências nas comunidades 1999 - Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a

Ocorrências nas comunidades 1999 - Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado entre a Vale e Ministério Público previa: 1. executar projetos sociais sendo o principal a construção de um condomínio popular com 200 casas para relocação das famílias que residiam próximo à Unidade; 2005 – Criada a Fundação Crê sob a coordenação do MP para gestão da verba doada pela Vale; 2007: Status das casas inacabadas em Cotegipe Status: Cotegipe – Início da construção de 30 casas. Demolidas. Santa Luzia – 20 casas. Obras não iniciadas. Mapele – 100 casas entregues. 12 2009 - identificadas irregularidades no direcionamento da verba; verba residual do projeto depositada em juízo; 2011 - A CHESF informou que o terreno onde foram construídas as casas pertencia à União e as que se encontravam incompletas foram demolidas

Ocorrências nas comunidades 2. A realização de um Estudo Epidemiológico nas comunidades vizinhas para

Ocorrências nas comunidades 2. A realização de um Estudo Epidemiológico nas comunidades vizinhas para avaliar a relação entre os problemas respiratórios relatados por alguns moradores das comunidades e a atividade produtiva da empresa. 2006 até o momento - a Unidade toma ciência da realização de estudos epidemiológicos pelo Prof. José Antonio Menezes Filho nas comunidades vizinhas; Comunidades: Cotegipe & Santa Luzia 2005 - Estudo Vereda realizado e relatório entregue ao MP; Não há uma aprovação formal do MP quanto a esse item. Protocolado na Justiça o entendimento da empresa quanto ao cumprimento do TAC; 2012 - Realizado estudo pela Pathos Consultoria - resultados desqualificam os estudos realizados pelo professor e consideram outras dimensões como as condições de saneamento local e os quadros de saúde da população; 2016 – estudos do Prof. Menezes continuam a ser realizados nas comunidades da área de abrangência da Unidade. 13

As empresas do CIA e Polo Petroquímico de Camaçari, que têm Simões Filho como

As empresas do CIA e Polo Petroquímico de Camaçari, que têm Simões Filho como área de abrangência, realizam ações de relacionamento comunidade com objetivos educacionais, de inserção profissional e para cumprimento de condicionantes operacionais. Como atuam as empresas em Simões Filho Programa desenvolvido pela Bosch Programa desenvolvido pela Petrobras/FAFEN 14 Programa desenvolvido pela Gerdau Usiba

Como atuam as empresas em Simões Filho Empresa Bosch Gerdau Usiba Transpetro 15 Ação

Como atuam as empresas em Simões Filho Empresa Bosch Gerdau Usiba Transpetro 15 Ação Objetivo Procedimento Investimento social 1. Cidade da Criança 2. Obras Assistenciais de Irmã Dulce Local: sede de Simões Filho Investe nestas duas instituições como uma ação de responsabilidade social promovida por meio do Instituto Robert Bosch. Foco em educação e iniciação profissional para jovens Investimento local. Os projetos são encaminhados e os investimentos concedidos via leis de incentivo fiscal estadual. Valor investido em 2014: R$ 387. 000, 00 Investimento social Obras Assistenciais de Irmã Dulce - Centro Educacional Santo Antonio (CESA) - Núcleo de Prática Orquestral e Coral (NPO) Orquestra e Coral Santo Antonio Local: sede de Simões FIlho Ação de responsabilidade social desenvolvida pelo Instituto Gerdau. Possui cunho socio educacional. Desenvolve crianças e adolescentes através da prática musical Investimento local. Padrinho local apresenta o projeto ao Instituto. Projeto aprovado é apoiado via lei de incentivo fiscal estadual. Investimento de 2 anos no valor de R$ 200. 000, 00 Transpetro Comunidades Promove ações de conscientização e informação sobre as questões de SMS nas comunidades da área de abrangência das instalações operacionais. Leva em consideração a criticidade da comunidade = proximidade e numero de habitantes Não há investimento social. Realização de encontros com a comunidade; distribuição de material informativo; ações de educação ambiental. Local: comunidades de Fazenda Dames, Santa Luzia e Mapele em Simões Filho (área de abrangência da Unidade de Simões Filho)

Como atuam as empresas em Simões Filho Empresa Petrobras Fertilizantes S. A. – FAFEN*

Como atuam as empresas em Simões Filho Empresa Petrobras Fertilizantes S. A. – FAFEN* Ação Objetivo Procedimento Programa Petrobras Socioambiental Projeto: Costurando o Futuro em Comunidade – Fundação Terra Mirim Foco no desenvolvimento sustentável e na capacitação de jovens e adultos em cursos de qualificação profissional. Promovido pela Gerência Executiva de Resp. Social que patrocina projetos sociais corporativos que são conduzidos pelas unidades operacionais. Investimento corporativo. Projetos participam de seleção publica de editais e recebem por meio de leis de incentivo. Investimento de 2 anos no valor de R$ 200. 000, 00 Programa Petrobras Agenda 21 Implementar os princípios e ações de Agenda 21 Construção de novos conhecimentos e desenvolvimento de ações socioambientais Investimento corporativo. Programa executado por empresa contratada Programa de Educação em SMS Desenvolve ações de meio ambiente, segurança e saúde. Atuam também no fortalecimento das lideranças locais. Parceria entre as áreas de Resp. Social e Gerência de SMS Investimento local. Ações realizadas pela empresa CETREL Atende condicionante ambiental Programa de visitas Receptivo de visitantes na unidade pela área de Resp. Social para apresentação de informações institucionais, operacionais e sobre as ações de responsabilidade social e ambiental realizadas Investimento local. Projeto MOVA-Brasil Alfabetização de jovens e adultos. Parceria Federação Única dos Petroleiros (FUP) e Instituto Paulo Freire (IPF) Investimento local. Convenio DUTOVIAS Convenio entre empresas do Polo Petroquímico. Desenvolve atividades socioambientais e educativas. Participantes: Braskem, Petrobras, Transpetro, Bahiagas, Unigel e Dow Quimica Investimento distribuído entre as empresas. Ações realizadas pelo SESI. Atende condicionante ambiental * OBSERVAÇ O: A FAFEN promove ações de responsabilidade social com foco na educação ambiental, educação, segurança e na promoção 16 da qualidade de vida nas comunidades da sua área de abrangência. Local: em Simões Filho, nas comunidades de Palmares e Pitanga de Palmares e na sede do município.

3 Momento atual Cenário Vale e Manganês Análise cenário Desafios 17

3 Momento atual Cenário Vale e Manganês Análise cenário Desafios 17

Cenário Vale e Manganês O ano de 2016 permanecerá desafiador para a Vale. Investimentos

Cenário Vale e Manganês O ano de 2016 permanecerá desafiador para a Vale. Investimentos para conclusão dos projetos de carvão e minério de ferro são o foco da empresa. Produtividade, eficiência e redução de custos continuarão sendo pontos críticos para a empresa. O mercado externo ainda continua delicado. O controle sobre a demanda de produção de minério e um olhar atento sobre a concorrência australiana serão fatores importantes para garantir a competitividade, frente às perspectivas relativas ao preço do produto e de desenvolvimento da China. Em paralelo a ocorrência em Mariana/MG levantou questões ambientais e de segurança importantes. Resultados sustentáveis são primordiais para garantir a continuidade das operações e os licenciamentos futuros. 18 No Manganês a questão energética ainda vigora como peça chave. A Unidade de Simões Filho atualmente produz com cerca de 50% de sua capacidade e as de Minas Gerais continuam aguardando a resolução desta questão. Outro ponto de atenção diz respeito às questões comerciais, de aquisição e manutenção de clientes. Melhorias na produtividade e eficiência são focos importantes para a empresa. O engajamento do empregado é fundamental para que a Vale Manganês alcance resultados promissores e necessários ao seu funcionamento. Investimentos na manutenção dos fornos em Simões Filho foram realizados e figuram como outra questão chave para a Unidade, além da continuidade dos investimentos em segurança interna e externa, esta se estendendo à necessidade de desenvolvimento de um relacionamento apropriado com as comunidades dá área de abrangência da fábrica.

Análise de cenário • • • Contrato de energia em SF renovado; MP de

Análise de cenário • • • Contrato de energia em SF renovado; MP de energia abrange Unidades de MG; Investimento para manutenção dos fornos em SF; Produtividade , redução de custos e engajamento como focos estratégicos ; Investimentos em Meio Ambiente em SF; Investimentos contínuos em saúde e segurança ; Demissões evitadas em MG – empregados em licença remunerada; Investimento em segurança patrimonial ; Diminuição do número de invasões à unidade em SF; Bom relacionamento com Prefeitura – doação terreno; Bom relacionamento com órgãos ambientais; Alinhamento e parceria entre Vale e Manganês para ações de relacionamento comunidade; 45 anos da Unidade de Simões Filho; • • • • • • 19 • • • Incertezas em relação ao cenário político e econômico do país; Ano eleitoral; Perda de market share e dificuldade na prospecção de novos clientes; Situação econômica da empresa; MG – atenção para movimento dos sindicatos pelos empregos; Comunidade cada vez mais articulada; Comunidade não tem infraestrutura básica – escolas, saneamento, água, posto de saúde e etc. Comunidade percepção dos impactos se sobrepõe ao (re)conhecimento sobre a Unidade; Investimentos sociais – possível expectativa do poder publico e das comunidades; Estudo Epidemiológico – articulação de ações contra a empresa e registro de pesquisas; Horta – ação judicial prejudicial ao relacionamento e imagem da empresa; Invasões – para roubo e da área da Unidade (residências muito próximas ); Ameaças Oportunidades • Alta do dólar – melhoria no preço de comercialização; Contrato de energia em SF até 2037; Nome “Vale” – nome de peso e reconhecimento por parte do poder publico e sociedade; Plano de relacionamento comunidade – empresa se posicionando e necessidade de relacionamento SF; Contabilizar ações em andamento – doação terreno à prefeitura, regularização dos terrenos/moradores da Faz. Dames, investimentos ambientais (barragem e filtros); Aniversário da Unidade – visitas institucionais para apresentação da história da empresa, empregos, investimentos ambientais e monitoramentos, segurança interna e externa; Investimentos sociais em SF – existência de projetos de grande porte na região – Petrobras, Gerdau, Bosch; Possibilidade de parceria com a Transpetro – relacionamento institucional e SMS; Unidade de SF com capacidade de produção reduzida - volume de energia CHESF, situação dos fornos Planta III, necessidades de manutenção; Unidades de MG seguem com atividades paradas - contrato de energia indefinido; Orçamento – investimentos sobre forte avaliação & priorização da produção; Empregados de MG – ansiedade com futuro da empresa & empregos; PLR – não pagamento em 2016; Assuntos estratégicos - carência de informações aos empregados; Comunicação direta deficiente - gestor x empregado; Comunicação interna deficiente – veículos e conteúdo; Engajamento baixo dos empregados e gestores - baixa participação em campanhas e eventos internos, comitês e aderência às diretrizes da empresa; Segurança - ocorrências x atenção dos empregados; Meio ambiente & Impactos ambientais - falha nos controles, problemas com os filtros dos fornos da produção (impacto visual negativo e lançamento de particulados); Passivo comunidades em SF – horta, invasões, estudos epidemiológicos, poluição; Relacionamento comunidade não é prioridade – falta de alinhamento estratégico, ações não articuladas com meio ambiente & seg. patrimonial, só atendimento a demandas; Resistência em relação ao contato com a comunidade; Inexistência de investimentos e ações de relacionamento comunidade; Fraquezas Forças • •

Desafios Não nos relacionamos com nossos vizinhos; E esses vizinhos nos incomodam: • Invadem

Desafios Não nos relacionamos com nossos vizinhos; E esses vizinhos nos incomodam: • Invadem nosso espaço fazendo uso da nossa área em beneficio próprio (hortas e casas) • Depredam, roubam e nos ameaçam (invasões à Unidade) • Fazem reclamações a nosso respeito (emissão de particulado/poluição) • Falam o querem de nós e se articulam com quem fala mal de nós (Estudo epidemiológico e denuncias ao MP) Não nos apresentamos adequadamente aos nossos vizinhos; Sociedade mais engajada e conhecedora de seus direitos (vide caso horta/ agricultores vinculados a sindicato); 20 Não tomamos conta, devidamente, do que é nosso; Não atuamos para estabelecer diálogo e relacionamento com as comunidades/stakeholders; E quando o fazemos é de forma desarticulada (Meio ambiente e Seg. Patrimonial) e sem envolver a área de Relacionamento; Esta atuação ocorre geralmente sem planejamento de relacionamento e sem analisar as possíveis consequências para este (resolução imediata do problema); Possibilidade de gerarmos expectativas e demandas a nosso respeito;

4 Plano de relacionamento 21 Qual nossa área de abrangência & comunidades O queremos

4 Plano de relacionamento 21 Qual nossa área de abrangência & comunidades O queremos - objetivos a atingir Como faremos – estratégia & ações Com base em que – premissas & posicionamento Horizontes – perspectivas para o Plano de Relacionamento

A definição das comunidades-alvo do relacionamento comunidade levou em consideração a proximidade em relação

A definição das comunidades-alvo do relacionamento comunidade levou em consideração a proximidade em relação à Unidade. Além disso, considerou-se os seguintes critérios: TAC (projetos sociais e estudo Vereda), raio de atuação do Meio Ambiente e área de aplicação do estudo epidemiológico do Prof. José Antonio Menezes. Qual nossa área de abrangência & comunidades Comunidades reconhecidas TAC Projetos sociais TAC Estudo Vereda (Comunidades no raio de 1, 5 km da Unidade) ¹* Meio Ambiente (Comunidades no raio de 5 km da Unidade. Locais de instalação do Hi -Vol)²* Estudo Prof. Menezes Definição e priorização comunidadesalvo Stakeholders Avaliação Simões Filho sede 1 Relação institucional & invasões Fazenda Dames/Dambe 1 Raio de abrangência, horta & levantamento topografico x 2 Raio de abrangência, estudo Prof. Menezes & maior interferência x 3 Estudo Prof. Menezes Cotegipe x Santa Luzia x Mapele x x Avaliar Comunidade muito distante da Unidade Observação 1: O Estudo Vereda foi realizado somente em Cotegipe. Contudo, o MP solicitou a realização de novo estudo contemplando Cotegipe e outras duas comunidades: Santa Luzia e Mapele. Observação 2: A área de atuação do Meio Ambiente possui 4 Hi-Vols instalados. Além de Cotegipe e Mapele, a aferição é realizada no Marina/Porto de Aratu e em Ponto Parada, próxima à BR 324. 22

Qual nossa área de abrangência & comunidades Entrada da Unidade 23 Limite da área

Qual nossa área de abrangência & comunidades Entrada da Unidade 23 Limite da área pertencente à Unidade Horta & Linha de transmissão CHESF Faixa de dutos da Transpetro Comunidade Fazenda Dames/Dambe Comunidade Cotegipe

Qual nossa área de abrangência & comunidades Unidade Vale Manganês Horta & Linha de

Qual nossa área de abrangência & comunidades Unidade Vale Manganês Horta & Linha de transmissão CHESF 24 Faixa de dutos da Transpetro Comunidade Fazenda Dames/Dambe Comunidade Cotegipe Comunidade Santa Luzia Comunidade Mapele

O queremos - objetivos a atingir Adoção do macro objetivo da área de Comunicação*:

O queremos - objetivos a atingir Adoção do macro objetivo da área de Comunicação*: Objetivos específicos: • Reforçar a importância e promover a imagem da empresa para o município e as comunidades (parcerias estratégicas); • Promover o conhecimento sobre a Vale Manganês e questões estratégicas, como meio ambiente e segurança (engajamento pela informação); • Estabelecer e estimular o diálogo entre a empresa e as comunidadesalvo (relação de vizinhança e minimizar ocorrências); “Contribuir para a melhoria da reputação da Vale baseado na nossa Missão, Visão e Valores e para a melhoria da interface com públicos de relacionamento. ” * Macro objetivo adotado em virtude de possuir significação e atributos para a área de Relação comunidade: • • • 25 Reputação Baseado na Missão, Visão e Valores Interface com públicos de relacionamento

Como faremos – frentes de atuação & foco 26 Importância/Valor • Importância Vale Manganês

Como faremos – frentes de atuação & foco 26 Importância/Valor • Importância Vale Manganês - Foco em demonstrar a importância da Vale Manganês construir e reafirmar parcerias estratégicas Conhecimento/ Percepção • Engajamento pela informação - Foco em promover o conhecimento sobre assuntos estratégicos - nos apresentarmos devidamente e desenvolvermos formadores de opinião Relacionamento/ Proximidade • Gestão de stakeholders - Foco em promover diálogo e gerar proximidade com as comunidades-alvo - estabelecer boa relação com nossa vizinhança e contribuir para minimizar/acabar com as ocorrências Relacionamento adequado com nossos vizinhos R O E L A C I O N A M E N T

Como faremos – ações Estratégia proposta Ações Desdobramento Apresentação Institucional Desenvolver apresentação institucional para

Como faremos – ações Estratégia proposta Ações Desdobramento Apresentação Institucional Desenvolver apresentação institucional para reforçar a importância da Vale Manganês no território e divulgar temas estratégicos (ex. História Unidade, impostos, geração de empregos, indicadores Meio ambiente e seg. ) Relação Institucional * Alinhar discurso Importância Vale Voluntários Vale Manganês Comitê de relacionamento Ações de comunicação Realizar encontros para nos (re) apresentarmos e aproximarmos dos stakeholders estratégicos (Prefeitura, Secretarias, Policias e etc. ) OBS: Processo de doação do terreno em fase final Ano eleitoral – posicionamento low profile Realizar ações na sede do município e comunidades visibilidade para a Unidade (ações com foco em Saúde, educação ambiental e promoção da qualidade de vida) – Dia V, por exemplo. Integrar e sistematizar ações entre às áreas da Unidade Gerência, Relacionamento, Meio Ambiente, Seg. Patrimonial, ADM – a fim de fortalecer e nivelar ações, mesmo discurso, relatório conjunto e robusto, indicadores Desenvolver conteúdos estratégicos e ações junto a imprensa local Aniversários - Unidade (13/3) Desenvolver ações de visibilidade OBS: Verificar a possibilidade de patrocínio e de Simões Filho (7/11) 27

Como faremos – ações Estratégia proposta Ações Desdobramento Programa de visitas de escolas e

Como faremos – ações Estratégia proposta Ações Desdobramento Programa de visitas de escolas e das comunidades -alvo à Unidade – apresentar e divulgar temas estratégicos (ex. História Unidade, impostos, geração de empregos, Programa Vale Comunidade indicadores Meio ambiente e segurança e etc. ) – ação desenvolvida com resultados positivos e de baixo investimento Encontros com lideranças Promover encontros com lideres das comunidades-alvo Educação Ambiental Executar ações nas escolas das comunidades –alvo, com foco no desdobramento de temas estratégicos: Dia da água, Dia Mundial do Meio Ambiente, Resíduos. Ação conjunta: Relacionamento e Meio Ambiente OBS: Verificar possibilidade de contratação de empresa especializada (SESI ? ) Ações de visibilidade Estar presente em datas e eventos das comunidades com ações de conteúdo estratégico – ex. Feiras de ciências, aniversários das comunidades e etc. OBS: Verificar a possibilidade de investimento social Engajamento pela informação 28

Como faremos – ações Estratégia proposta Ações Desdobramento Diagnóstico das comunidades-alvo Registrar/inserir documento nos

Como faremos – ações Estratégia proposta Ações Desdobramento Diagnóstico das comunidades-alvo Registrar/inserir documento nos sistemas SDI & APURA Com levantamento de dados - localização, nº de habitantes, equipamento sociais, fontes de renda, organizações sociais, interações com Unidade, demandas e etc. Ação em Fazenda Dames/Dambe Comunidade-alvo 1 – Desenvolvimento de diálogo social Avaliação: ocupação de área da empresa, levantamento topográfico e decisão sobre terrenos + horta (alguns dos moradores envolvidos) Ação em Cotegipe Comunidade-alvo 2 - Desenvolvimento de diálogo social Avaliação: Comunidade dentro do raio de abrangência da Unidade, local de realização do estudo epidemiológico do Prof. Menezes (grande interferência x oportunidade) Atendimento a demandas Gestão de demandas de iniciativa das comunidades OBS: Estabelecer fluxo de atendimento através do comitê de Relacionamento + montar mapa de todas as solicitações x retornos Fundo da Infância e da Adolescência/FIA Verificar a possibilidade de retornar com este investimento Gestão de stakeholders 29 Evolução do relacionamento com as comunidades-alvo com base no levantamento das demandas reais e possíveis x Diagnóstico Participativo & estratégia e possibilidade de atendimento pela Unidade. Investimento Social OBS: Verificar a possibilidade de parceria com Fundação Vale e suas ações + investimento social e patrocínios.

Com base em que – premissas 30

Com base em que – premissas 30

Com base em que – posicionamento NO PROFILE A empresa evita qualquer posicionamento sobre

Com base em que – posicionamento NO PROFILE A empresa evita qualquer posicionamento sobre qualquer tema. Reativo: a empresa somente se posiciona sobre questões-chave caso seja estimulada por seus públicos prioritários. LOW PROFILE Proativo: a empresa mantém postura de baixa exposição junto à opinião pública, buscando oportunidades de relacionamento/exposição. MEDIUM PROFILE A empresa cria oportunidades junto à opinião pública em geral para se posicionar sobre temas específicos. HIGH PROFILE A empresa cria oportunidades junto à opinião pública em geral para se posicionar sobre temas variados. 31 3 1

Com base em que – posicionamento Posicionamento Low profile Proativo: A empresa mantém postura

Com base em que – posicionamento Posicionamento Low profile Proativo: A empresa mantém postura de baixa exposição junto à opinião pública, buscando oportunidades de relacionamento / exposição. 32 Abordagem Oportunidade Riscos - Realização de ações que fortaleçam a imagem da empresa; - Aproximação e sinergia com o públicoalvo; - Priorização da comunicação direta e transparente; - Incentivo ao desenvolvimento de ações que promovam a integração e participação dos empregados; - Antecipar-se às questões e às necessidades dos diferentes stakeholders. - Construir e consolidar novos relacionamentos com os stakeholders foco no diálogo e construção coletiva. - Protagonizar ações de valorização da cultura local: contribuição com a qualidade de vida e estímulo ao desenvolvimento sustentável. - Ter um público interno conhecedor e multiplicador. - Aumento nas demandas e expectativas de imprensa, publicidade e patrocínio. - Conflito entre o que é dito x ação adotada; - Aumento de demandas de investimento social.

Horizontes – perspectivas para o Plano de Relacionamento • Investimento Social Faz Dames &

Horizontes – perspectivas para o Plano de Relacionamento • Investimento Social Faz Dames & Cotegipe • Dialogo Social Santa Luzia • Ações de visibilidade • Aniversários Vale Manganês e Município • FIA • Relação institucional • Ações de comunicação • Encontro de lideres • Programa Edu Ambiental • Diagnóstico Participativo Faz Dames & Cotegipe • Apresentação institucional • Voluntários Vale • Comitê Relacionamento • Programa Vale Comunidade • Diagnóstico comunidades • Ação Dialogo Faz Dames & Cotegipe • Atendimento Demandas 33 Horizonte 1 (2016) • Apresentação institucional • Voluntários Vale • Comitê Relacionamento • Programa Vale Comunidade • Diagnóstico comunidades • Ação Dialogo Faz Dames & Cotegipe • Atendimento Demandas Horizonte 2 (2017) • Aniversários Vale Manganês e Município • FIA • Relação institucional • Ações de comunicação • Encontro de lideres • Programa Edu Ambiental • Diagnóstico Participativo Faz Dames & Cotegipe • Apresentação institucional • Voluntários Vale • Comitê Relacionamento • Programa Vale Comunidade • Diagnóstico comunidades • Ação Dialogo Faz Dames & Cotegipe • Atendimento Demandas Horizonte 3 (2018)

5 Desdobramento estratégico Gestão de stakeholders Processo metodológico 34

5 Desdobramento estratégico Gestão de stakeholders Processo metodológico 34

Ação em Fazenda Dames/Dambe Comunidade - alvo 1: Fazenda Dames/Dambe Estratégica proposta: Gestão de

Ação em Fazenda Dames/Dambe Comunidade - alvo 1: Fazenda Dames/Dambe Estratégica proposta: Gestão de stakeholders Ação: Estratégia de aproximação com a comunidade Contexto: A comunidade de Fazenda Dames está localizada há menos de 1/2 km da Unidade. Seu desenvolvimento ocorreu com a ocupação de área pertencente à empresa /à beira da cerca que circula a área da fábrica. Está em desenvolvimento um processo de reconhecimento topográfico e de moradores. Além dessa questão, há o tramite envolvendo a horta que está localizada na “área da comunidade” com envolvimento de alguns dos moradores. Objetivos: • Estabelecer e estimular o diálogo entre a empresa e as comunidades-alvo (relação de vizinhança e minimizar ocorrências) • Minimizar desdobramentos negativos e novas ocorrências 35

Ação em Fazenda Dames/Dambe Processo metodológico: 1. Reconhecer a questão da ocupação da área

Ação em Fazenda Dames/Dambe Processo metodológico: 1. Reconhecer a questão da ocupação da área da empresa • Reunir com a área Administrativa da Unidade e a empresa de levantamento topográfico para inserir a área de Relacionamento no processo; • Conhecer e registrar as famílias identificadas no levantamento e definir linha de corte de publico – quem são • Questões: futuras invasões serão tratadas como? Verificar com Jurídico os instrumentos legais que possam ser usados no caso de novas invasões. Existe possibilidade de notificação extrajudicial e remoção de novas invasões? Quem acionar? Estruturar um fluxo para este processo envolvendo segurança patrimonial, MA, Relacionamento com Comunidade; Comunicação; Agentes externos (Prefeitura, PM, MP. . . ) • Finalizado o serviço de topografia e iniciar discussões e validações internas para resolver a questão da ocupação (evolução para o Diálogo Social) • Questões: qual decisão a ser tomada - verificar internamente com gestores: doação da área para os mapeados? Quem irá regularizar: Prefeitura ou Vale? Se prefeitura: agendar reunião para discutir o processo de regularização dos terrenos. 36

Ação em Fazenda Dames/Dambe 2. Diálogo Social – resolução da questão Primeiro momento: •

Ação em Fazenda Dames/Dambe 2. Diálogo Social – resolução da questão Primeiro momento: • Reuniões setoriais – metodologia que permite alcançar maior número de pessoas em um curto período de tempo. Esta será informativa, sobre o tema da regularização dos terrenos (? ), com as famílias identificadas e cadastradas e agendar a próxima reunião que será feita com ‘todos’ os moradores. • Materiais a serem utilizados: mapa de cada setor de casas e a interface com área Vale Manganês; preparar o discurso da intenção da empresa em ceder esta área (? ); reforçar a ‘linha de corte’ apresentando os moradores mapeados; informar sobre as ações que a empresa adotará no caso de ocorrência de novas invasões. Segundo momento: • Reunião com todos os moradores - Apresentar mapa geral da área, com as novas delimitações e o propósito da construção da cerca ao fundo dos terrenos; Entrar novamente com o discurso da intensão Vale Manganês em ceder a área (? ); Apresentar a ‘linha de corte’ e reforçar as ações caso novas invasões ocorram; • Levantar as responsabilidades - Definição / identificação participativa das responsabilidades (poder publico, empresas, comunidade); • Questões: Levantar a possibilidade para que cada morador cuide da cerca aos fundos de seu terreno uma vez que a área agora é dele (? ) (Co)responsabilidade; A reforma da cerca, caso necessário, será da Vale? Existirá a possibilidade de sugerir a plantação de cerca viva com a doação de mudas pela Unidade? • 37 Sistematizar as ocorrências e percepções da reunião e agendar discussões e validações internas com equipes Vale e Manganês.

Ação em Fazenda Dames/Dambe Terceiro Momento: • Elaboração do pré-plano após retorno e alinhamentos

Ação em Fazenda Dames/Dambe Terceiro Momento: • Elaboração do pré-plano após retorno e alinhamentos internos da empresa; Quarto Momento: • Regularização fundiária e entrega das escrituras - Acompanhar a Prefeitura (caso seja esta a responsável pela regularização) • Questões: Existirá a possibilidade da Vale Manganês apoiar a Prefeitura neste processo nas orientações às famílias quanto a documentação necessária para a regularização? Ou serviço social da Prefeitura atuará? Quinto Momento: • Reunir com a comunidade para dar retorno sobre o andamento do processo de regularização dos terrenos; • Questões: Diagnóstico Participativo – definir se nesta reunião existirá possibilidade de aplicar a metodologia do Mapa Falado, para identificação dos pontos positivos e negativos e as sugestões da Comunidade; Este processo permitirá elaborar um Plano de Relacionamento e Investimento Social futuro. • Sistematizar a reunião e agendar próximo encontro com a comunidade para retorno. 3. Evoluir o relacionamento (? ) para elaboração do Diagnóstico Participativo e definição de Investimento social na comunidade. 38

Ação em Cotegipe Comunidade - alvo 2: Cotegipe Estratégica proposta: Gestão de stakeholders Ação:

Ação em Cotegipe Comunidade - alvo 2: Cotegipe Estratégica proposta: Gestão de stakeholders Ação: Estratégia de aproximação com a comunidade Contexto: A comunidade de Cotegipe está localizada no raio de 1, 5 km da Unidade. É a comunidade que sofreu maior numero de intervenções direta ou indireta da Vale Manganês. De sua localização tem visão privilegiada da empresa. Nela está instalado equipamento do meio ambiente (hi-vol) de monitoramento do particulado da empresa. Cotegipe é dividida em duas localidades e ambas são foco do estudo epidemiológico do Prof. Menezes. Grande interferência x oportunidade de atendimento e diálogo. Objetivos: • Estabelecer e estimular o diálogo entre a empresa e as comunidades-alvo (relação de vizinhança e minimizar ocorrências) • Reverter visibilidade negativa e engajar em prol da Vale Manganês Processo metodológico: Diálogo Social – resolução da questão Primeiro momento 1. Programa Vale Comunidade – visitas para apresentação da Unidade e questões estratégicas. Envolver técnicos responsáveis por cada processo. 2. Voluntários Vale – levar ação do voluntariado para a comunidade Questões: Caso surjam demandas - criar fóruns específicos para tratar cada tema. 39 Verificar como a comunidade responde às primeiras intervenções. Evoluir diálogo.

40

40