O Coronelismo em Mato Grosso Perodo Republicano 1

  • Slides: 16
Download presentation
O Coronelismo em Mato Grosso Período Republicano 1

O Coronelismo em Mato Grosso Período Republicano 1

Coronelismo “ Poder exercido pelos homens ricos e proprietários de terras; pessoas politicamente influentes

Coronelismo “ Poder exercido pelos homens ricos e proprietários de terras; pessoas politicamente influentes agraciadas durante o império com patentes da guarda nacional. “coronéis” civis possuíam um grande contingente de homens armados. (pecuaristas, usineiros, agricultores, comerciantes grandes ou pequenos. 2

ØCoronel mantinha o poder sobre os trabalhadores, batizando os filhos destes e os armando

ØCoronel mantinha o poder sobre os trabalhadores, batizando os filhos destes e os armando para sua defesa pessoal. ØFazia as vezes de empregador, protetor de famílias, compadre, festeiro, juiz => “Cacique político” ØEra comum nessas propriedades a presença de um médico para cuidar dos trabalhadores, professora para lecionar para as crianças e um padre para realizar missas, batismos e casamentos, todos esses providenciados pelo coronel. 3

O Voto de “cabresto” João Soares estava com a razão: Política só se ganha

O Voto de “cabresto” João Soares estava com a razão: Política só se ganha com muito dinheiro. A começar com o alistamento, que é trabalhoso e caro: tem -se que ir atrás de eleitor por eleitor, convencê-lo a se alistar e ensinar tudo, até a copiar o requerimento. Cabo de enxada engrossa as mãos – o laço de couro cru, machado e foice também. Caneta e Lápis são ferramentas muito delicadas. A lida é outra: labuta pesada, de sol a sol, nos campos e nos currais [. . . ] Ler o quê? Escrever o quê ? Mas agora é preciso: a eleição vem aí, e o alistamento rende a estima do patrão, a gente vira pessoa. Fonte: Alencar e outros (1985) 4

O massacre da Baía do Garcez Os Murtinho e Totó Paes X Generoso Ponce.

O massacre da Baía do Garcez Os Murtinho e Totó Paes X Generoso Ponce. ØDurante a presidência de Campos Sales, Manoel José Murtinho foi escolhido para ocupar o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal, seu irmão Joaquim Murtinho já ocupava o cargo de Ministro da Fazenda. ØPeríodo de déficit dos cofres nacionais, política de aumento de impostos e contenção de gastos públicos. Ø“Política dos Governadores” delegava poderes extremos aos chefes políticos estaduais, o que veio a reforçar o poder dos coronéis e contribuir para existência de conflitos cada vez mais violentos. 5

Em Mato Grosso. . . Ø Nas eleições mato-grossenses de 1898 o Partido Republicano,

Em Mato Grosso. . . Ø Nas eleições mato-grossenses de 1898 o Partido Republicano, tendo a frente Generoso Ponce, indica João Félix Peixoto de Azevedo ao governo estadual. Ø Manoel José Murtinho discordou dessa indicação, lançando José Maria Metelo ao cargo, esse fato marca o primeiro conflito entre os Ponce e os Murtinho. Ø Inconformado com o resultado Murtinho rompe com seu tradicional partido e organiza uma reação através da Legião Campos Sales, tendo em seu comando o usineiro Antônio Paes de Barros ( Totó Paes). 6

Ø Esse exército invadiu Cuiabá e cercou a assembléia legislativa, pressionando para que fossem

Ø Esse exército invadiu Cuiabá e cercou a assembléia legislativa, pressionando para que fossem anuladas as eleições que haviam dado a vitória a Azevedo, os deputados acuados, anularam o pleito e lançaram novas eleições, nessas vence Antônio Pedro Alves de Barros, apoiado por Manuel Murtinho Ø Este governo foi marcado por muita disputa e violência, chegando este a montar força armada “Divisão Patriótica” com o objetivo de perseguir seus adversários políticos. ØEm outubro de 1901 esse exército paramilitar ficou sabendo da existência de um reduto oposicionista junto à Usina Conceição, cujo proprietário era João Paes de Barros, irmão de Totó Paes. 7

ØMesmo assim a Divisão Patriótica, sob o comando de Toto Paes invadiu a fazenda

ØMesmo assim a Divisão Patriótica, sob o comando de Toto Paes invadiu a fazenda e prendeu 17 oposicionistas que seriam conduzidos de volta para Cuiabá. ØNo meio do Caminho às margens da Baía do Garcez entre Santo Antônio do Leverger e Cuiabá, os presos foram mortos com requintes de crueldade, seus corpos foram abertos e jogados na baía , para ficarem submersos encobrindo os assassinatos. ØO crime só foi descoberto um ano depois quando as águas da baía do Garcez secaram e as ossadas constituíram a prova, este ato no entanto permaneceu sem punição. 8

Alguns dos Reflexos do rompimento Ponce X Murtinho ØEsse rompimento refletiu em conflitos, não

Alguns dos Reflexos do rompimento Ponce X Murtinho ØEsse rompimento refletiu em conflitos, não só na parte Norte e central do estado, envolvendo também coronéis do Sul, a exemplo da defesa que o coronel Jango Mascarenhas desencadeou em favor de Generoso Ponce. ØEssa defesa foi expressa pela força organizada por Mascarenhas, para combater na parte sul os correligionários dos Murtinho. ØJango atacou o coronel José Alves Ribeiro ( Coronel Jeje) que reagiu violentamente, desse embate resultou a invasão da cidade de Aquidauana por Mascarenhas. Inúmeras cidades ao sul do estado foram palco de revoltas provocadas pelo choque entre os coronéis sulistas. 9

Totó Paes se elege presidente do Estado de Mato Grosso ØEm 1902 Antônio Paes

Totó Paes se elege presidente do Estado de Mato Grosso ØEm 1902 Antônio Paes de Barro se elege ao governo do estado, como proprietário da Usina de Itaici, situada rio Cuiabá abaixo suas principais obras foram: 1. Levou, para a Exposição Saint Louis , os principais produtos de MT: erva-mate, poaia, borracha, couro e artesanato; 2. Fez editar a primeira revista cultural, O Archivo, voltada para a reconstituição histórico-cultural de Mato Grosso; 3. Editou Vias de comunicação de autoria de Augusto Leverger, o Barão de Melgaço, que descreve os principais rios de Mato Grosso; 4. Financiou expedições científicas no estado; 5. Estimulou o comércio, tanto interno como externo dos produtos extrativos de Mato Grosso 10

Ø A união de Paes de Barros e os irmãos Murtinho não durou muito,

Ø A união de Paes de Barros e os irmãos Murtinho não durou muito, contando com o apoio do Governo Federal, Totó Paes se afasta dos Murtinho por divergências políticas. ØEstes últimos por sua vez se reaproximam de Generoso Ponce e formando a coligação que contou com um forte grupo armado : Legião dos patriotas (Norte) e a Divisão do Sul (Sul) seus principais representantes foram: Pedro Celestino Corrêa da Costa, Joaquim Caracíolo Peixoto de Azevedo, e Joaquim Augusto da Costa Marques. ØTotó Paes ao assumir o Governo desencadeou uma ferrenha perseguição a Generoso Ponce, que por sua vez resolveu imigrar para o Paraguai onde residiu juntamente com alguns de seus aliados. Ø A estratégia para a destruição do poder de Paes, teve inicio no Sul do estado com um movimento armado que partiu de Corumbá à Cuiabá, agora reforçado com a Divisão Naval Libertadora composta por 10 embarcações de médio porte e 30 de pequeno porte mais 500 11 homens fortemente armados.

Ø Antônio Paes de Barros, confiante no envio de reforço do Governo Federal (Expedição

Ø Antônio Paes de Barros, confiante no envio de reforço do Governo Federal (Expedição Dantas Barreto) que não chegou a tempo, perdeu a disputa para o grupo opositor que anteriormente havia se apossado da Usina Itaici e da Fazenda Pindaival (propriedade do irmão de Totó Paes) ØQuando a expedição Dantas Barreto chegou ao local Totó Paes já havia sido assassinado e o poder tomado pelos revoltosos, esse fato refletiu negativamente na capital, se plantando uma ideia de intervenção em Mato Grosso, o que não aconteceu graças a força política dos Murtinho. ØDevido a esse fato Mato Grosso passou a ser visto como uma terra sem lei, ou o território do “baraço e cutelo” onde vigorava a “lei do 44” 12

A Caetanada ØEm 1916 surge uma nova composição política: Generoso Ponce e Pedro Celestino

A Caetanada ØEm 1916 surge uma nova composição política: Generoso Ponce e Pedro Celestino Corrêa da Costa, fundadores do Partido da coligação. ØEstes por sua vez após divergências políticas se desligaram deste partido fundando um novo: Partido Republicano Mato-Grossense (PRMG). ØPonce novamente se distancia dos Murtinho (acionistas majoritários da companhia Mate Laranjeira). ØOs membros do novo partido queriam uma nova divisão de terras (divididas em 450 hectares) para assim acabar com os arrendamentos da companhia alegando que esta pelo seu poder e riqueza representava um estado dentro do estado de Mato Grosso. 13

Ø O governador do estado Caetano Manuel de Faria (eleito em 1915 pelo Partido

Ø O governador do estado Caetano Manuel de Faria (eleito em 1915 pelo Partido Republicano Conservador) se junta ao PRMG. ØA partir daí ambos os lados organizaram grupos armados para sua defesa: Os membros do PRMG cercaram o Hotel Cosmopolita em Cuiabá obrigando os membros do Partido Republicano Conservador a se refugiarem em Corumbá para onde foram transferidos os trabalhos da Assembleia Legislativa. ØWenceslau Brás o atual presidente, temendo um confronto ainda maior entre os grupos pressionou Caetano de Albuquerque a renunciar. ØApós a renuncia deste assume o Bispo de Cuiabá D. Francisco de Aquino Corrêa, tendo como missão instaurar a paz e minimizar a violência. 14

1 - Em relação ao predomínio política das oligarquias no Brasil durante a Primeira

1 - Em relação ao predomínio política das oligarquias no Brasil durante a Primeira República 1889/1930 e à ação dos chamados coronéis, considere as afirmativas abaixo: I – Em Mato Grosso a disputa ocorria entre a oligarquia do Norte, composta pelos senhores de engenho, depois usineiros, e a oligarquia do sul, composta por grandes pecuaristas e comerciantes. II – O coronelismo entendido enquanto um sistema de troca eleitoral, proteção e favores de um lado, e o voto de outro, possui um caráter sempre pacífico. III – O coronelismo tinha base familiar e rural, o coronel era ao mesmo tempo um grande latifundiário e um chefe patriarcal. Quais estão corretas? A- Apenas I B- Apenas II C- Apenas III D- Apenas I e II E- Apenas I e III 15

2 - São características da Primeira República em Mato Grosso: I. O coronelismo, fruto

2 - São características da Primeira República em Mato Grosso: I. O coronelismo, fruto do modelo de colonização implantado no estado. Os coronéis eram homens de grande poder político e econômico e por isso exerciam domínio sobre as regiões que lhes pertenciam; II. Intensas disputas pelo poder entre as oligarquias do norte e do sul dominadas também por coronéis. III. As oligarquias revezavam-se no governo de Mato Groso e, cada uma que o conseguia, o fazia à força das armas. Logo que isso ocorria, estabelecia-se um acordo com o Presidente da República. IV. Mato Grosso constituiu-se numa exceção durante esse período tão conturbado na história do País, não participando, em nenhum momento, da política dos Governadores Quais afirmações estão corretas? A- I, II e III B- I, III e IV C- I e II D- II e IV E- I, III e IV 16