Nome do Apresentador Titulao Cargo que ocupa na

  • Slides: 27
Download presentation

Nome do Apresentador Titulação Cargo que ocupa na Gestão da ABEn

Nome do Apresentador Titulação Cargo que ocupa na Gestão da ABEn

O Ã Ç U D O R INT MOMENTO 1 IRA E L I

O Ã Ç U D O R INT MOMENTO 1 IRA E L I S A R B O Ã Ç A ASSOCIA SA S O N : M E G A DE ENFERM IA C N Ê R E F E R R MAIO

� Atua desenvolvendo uma Política de Defesa da Qualidade da Educação de Enfermagem Diretrizes

� Atua desenvolvendo uma Política de Defesa da Qualidade da Educação de Enfermagem Diretrizes Curriculares de Enfermagem (Superior, Profissionalizante) � Vinculação de Escolas � Conselhos Consultivos de Escolas � Regulamentação da carga horária de 4. 000 horas � Agenda de Prioridades para a Pósgraduação em Enfermagem �

 MOVIMENTO EM DEFESA PELA QUALIDADE DA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM BRASILEIRA PROMOÇÃO

MOVIMENTO EM DEFESA PELA QUALIDADE DA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM BRASILEIRA PROMOÇÃO DE EVENTOS CIENTIFICOS 16º SENPE – 19 A 22 DE JUNHO DE 2011. CAMPO GRANDE (MS) 3º SITEn – 11 a 13 de agosto de 2011 63º CBEn – 3 a 6 de outubro de 2011. VISITEM O PORTALDE EVENTOS DA ABEn. www. abeneventos. com. br

� Atua desenvolvendo uma Política de Defesa da Qualidade da Prática Profissional de Enfermagem:

� Atua desenvolvendo uma Política de Defesa da Qualidade da Prática Profissional de Enfermagem: � Preservação da Memória da Enfermagem � Sistematização da Assistência de Enfermagem � Criação de Departamentos Científicos � Vinculação de Sociedades/Associações de Especialistas � Difusão do conhecimento cientifico da área � Publicações seriadas (REBEn, Jornal, Catálogo do CEPEn) � Realização de eventos com série histórica � Educação permanente dos profissionais de Enfermagem. � PROENF, PROTENF, Cursos

Defende uma prática autônoma para os Enfermeiros e as Enfermeiras; Defende a formação de

Defende uma prática autônoma para os Enfermeiros e as Enfermeiras; Defende a formação de profissionais mais aptos a atingir metas e a contribuir para que a profissão cumpra seus objetivos de servir à sociedade. Prossegue lutando pela aprovação do PL 2295/2000.

� Atua desenvolvendo uma Política em Defesa da Ciência de Enfermagem: � Elaboração da

� Atua desenvolvendo uma Política em Defesa da Ciência de Enfermagem: � Elaboração da Agenda de Prioridades de Pesquisa em Enfermagem � Consolidação das Propostas de Linha de Pesquisa em Enfermagem � Implantação do Centro de Memória da Enfermagem Brasileira � Parceria na realização da Pesquisa sobre o Perfil da Enfermagem no Brasil. Lançado em Maio de 2011 � Criação e Implantação do – � Diretório de eventos � Portal de Teses e Dissertações de Enfermagem

� Atua desenvolvendo uma Política em Defesa da Saúde e da Qualidade de Vida

� Atua desenvolvendo uma Política em Defesa da Saúde e da Qualidade de Vida da População: � Nos movimentos sociais � Como parceira de outras organizações sociais � Como parceira de suas co-irmãs – autarquia, sindicato e Federações � Contra o cerceamento da prática dos profissionais na perspectiva multidisciplinar � Na defesa do SUS

MOMENTO 2 En B S ª 2 7 a d a i c Texto

MOMENTO 2 En B S ª 2 7 a d a i c Texto Referên 011) 2 , I D R A N U L ; (SILVEIRA Disponível em ben/ s / r. b m o. c s o t n eneve b. a w w w / : / p t t h. pdf s a c i D e d o n r arquivo/Cade

PONTO DE PARTIDA EM QUE CONTEX TO SE DÁ A DISCUSSÃO DO T EMA

PONTO DE PARTIDA EM QUE CONTEX TO SE DÁ A DISCUSSÃO DO T EMA DA 72ª SBEN - CUIDADO DE ENFERMAGEM, ÉT ICA E INOVAÇÃO?

ÃO Ç A Z GI O L O CN TE GLO ÃO Ç A

ÃO Ç A Z GI O L O CN TE GLO ÃO Ç A Z I N A HUM BAL IZA ÇÃO

Um momento marcado por vertiginoso avanço no desenvolvimento da ciência, o processo de globalização

Um momento marcado por vertiginoso avanço no desenvolvimento da ciência, o processo de globalização e suas conseqüentes mudanças atingem os mais diversos âmbitos da sociedade. Então, como o trabalhador de enfermagem pode situar-se, ocupar seu espaço na prestação de cuidado em saúde? � Como o enfermeiro exerce sua autonomia para prestar um cuidado com qualidade, fortalecendo o campo de conhecimento próprio da enfermagem? � Como estabelecer o que é ético e o que não é? (p. 1) �

EIXO 1 PARA DEBATE A DIMENS ÃO ÉTICA E MORAL CUIDADO DO DE ENFER

EIXO 1 PARA DEBATE A DIMENS ÃO ÉTICA E MORAL CUIDADO DO DE ENFER MAGEM

EIXO 2 PARA DEBATE ÉTICA E P RODUÇÃO /A DAS INOV AÇÕES TE VALIAÇÃO

EIXO 2 PARA DEBATE ÉTICA E P RODUÇÃO /A DAS INOV AÇÕES TE VALIAÇÃO CNOLÓGI EM SAÚD CAS E/ENFERM AGEM

EIXO 3 PARA DEBATE A ÉTICA N OS CURR ÍCULOS D FORMAÇÃ E O

EIXO 3 PARA DEBATE A ÉTICA N OS CURR ÍCULOS D FORMAÇÃ E O DE PES SOAL DE SAÚDE/EN FERMAGE M

EIXO 4 PARA DEBATE INOVAÇÕ ES TECNO L REPERCU SSÕES NO ÓGICAS E CUIDADO

EIXO 4 PARA DEBATE INOVAÇÕ ES TECNO L REPERCU SSÕES NO ÓGICAS E CUIDADO DE ENFERMA GEM

R I E M I PR A IM X Á AM ÉTICO O N

R I E M I PR A IM X Á AM ÉTICO O N C E T CUIDADO o, Nessa concepçã ter um , e d r a t s o g a ic if “cuidar sign e ter m o c l a n io c o m e compromisso fício e n e b m e ir g a a r disposição pa um m e t e s is a u q s a das pessoas com p. 4) ( “ o iv t a ic if n ig s relacionamento

SEGUNDA MÁXIMA DA REALIDADE DO PACIENTEUSUÁRIO CUI EM DADO CON B HEC ASEAD O

SEGUNDA MÁXIMA DA REALIDADE DO PACIENTEUSUÁRIO CUI EM DADO CON B HEC ASEAD O IME NTO S DA EXPERIÊNCIA CIENTÍFICOS

A R I E C R E T A M I X MÁ ICOT

A R I E C R E T A M I X MÁ ICOT Í R C O CUIDAD EL V Í S N E S ÉTICO & OR P O D A I MED IAS G O L O N TEC Nesta ép oca de m udanças que se a e incerte travessa zas cres , torna-s necessid centes e mais p ade de b remente uscar no de pensa a v a s f r o t r a m n as de ag to tecnolog ir e ias quan para a produção to de novas tecnolog ia, na qu para avaliar a pe al “o obje rformanc e da to primá r i o da ava qualidad d a liação e é o cui dado (ou assistên cia)” (p. 2 )

� Do mesmo modo, pode-se dizer da necessidade de investimentos e esforços, na área

� Do mesmo modo, pode-se dizer da necessidade de investimentos e esforços, na área da Enfermagem, para a produção de tecnologias de cuidado e de gerenciamento do cuidado, como expressão de compromisso com a profissão e sua sustentabilidade (p. 4).

PARA DEBATE A POLÍTICA NACIONAL DE CIÊNCIA TECNOLOG IA E INOVA , Ç Ã

PARA DEBATE A POLÍTICA NACIONAL DE CIÊNCIA TECNOLOG IA E INOVA , Ç Ã O EM SAÚD (PNCTI/S), I E NCLUI COMPETÊN O CIA DO SU S O INCREM DO DESEN ENTO VOLVIMEN TO CIENTÍF TECNOLÓG ICO EM SU A ÁREA DE ATUAÇÃO.

PARA DEBATE PRECISAMOS DE INVESTIMENTOS E ESFORÇOS, NA Á REA DA ENFERMA GEM, PARA

PARA DEBATE PRECISAMOS DE INVESTIMENTOS E ESFORÇOS, NA Á REA DA ENFERMA GEM, PARA A INVESTIG AÇÃO, PRODUÇÃ OE VALIDAÇÃO DE T ECNOLOGIAS

CONSIDERAÇÕES TRANSITÓRIAS TAMBÉM É FUNDAMENTAL PRODUZIR BEM-ESTAR PARECE FUNDAMENTAL QUALIFICAR AS AÇÕES DE CUIDADO

CONSIDERAÇÕES TRANSITÓRIAS TAMBÉM É FUNDAMENTAL PRODUZIR BEM-ESTAR PARECE FUNDAMENTAL QUALIFICAR AS AÇÕES DE CUIDADO MAS. . . É ESSENCIAL PENSAR MECANISMOS PARA A SUPERAÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS

PARA ALÉM DA QUALIDADE DO AGIR TÉCNICO INOVADOR. . . SE REQUER UM AGIR

PARA ALÉM DA QUALIDADE DO AGIR TÉCNICO INOVADOR. . . SE REQUER UM AGIR CUIDATIVO-EDUCATIVO ÉTICO, SOCIAL E SUSTENTÁVEL OBRIGADA