Escola de Cincia e Tecnologia Arquitetura TCPIP Roteamento

  • Slides: 15
Download presentation
Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP Roteamento IP Etienne César R. de Oliveira

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP Roteamento IP Etienne César R. de Oliveira etienne. [email protected] br 1ª Versão – outubro de 2012

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP Sumário 1. Roteamento IP 2. Protocolos de

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP Sumário 1. Roteamento IP 2. Protocolos de Roteamento 3. Tabela de Roteamento 2

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP Roteamento Direto Roteamento Estático

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP Roteamento Direto Roteamento Estático Roteamento Dinâmico Algoritmos de Roteamento Protocolos de Roteamento 3

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP O protocolo IP é

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP O protocolo IP é responsável pelo roteamento das informações na rede A variável ipforwarding indica se o protocolo está executando roteamento ou não Ipforwarding = 0 (não executa roteamento) Ipforwarding = 1 (executa roteamento) Os protocolos de roteamento são responsáveis: Divulgação de rotas; Atualização das tabelas de roteamento. 4

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Direto l

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Direto l Origem e Destino na mesma rede 192. 168. 10. 15 Switch 192. 168. 10. 0/24 192. 168. 10. 33 l Várias topologias l Lembre-se: equipamentos de nível 2 não tratam endereço IP 5

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Direto l

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Direto l Mas como saber se o endereço de destino está na mesma rede? l PASSO 1 l Calcula-se o endereço de rede: l endereço IP (A) AND máscara de rede (B) l Exemplo: l Endereço IP: 192. 168. 10. 15 l Máscara de Rede: 255. 0 Endereço IP 11000000. 10101000. 00001010. 00001111 Máscara de Rede 11111111. 0000 Endereço de Rede 11000000. 10101000. 00001010. 0000 ___________________________________________________________________________________________ Endereço de Rede: 192. 168. 10. 0/24 (AND) 6

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Direto l

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Direto l Mas como saber se o endereço de destino está na mesma rede? l PASSO 2 l Calcula-se o endereço de rede do endereço IP de destino: l endereço IP de destino (A) AND máscara de rede (B) l Exemplo: l Endereço IP de destino: 192. 168. 10. 33 l Máscara de Rede: 255. 0 Endereço IP de destino 11000000. 10101000. 00001010. 00100001 Máscara de Rede 11111111. 0000 Endereço de Rede de destino 11000000. 10101000. 00001010. 0000 ___________________________________________________________________________________________ Endereço de Rede de destino: 192. 168. 10. 0/24 (AND) 7

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Direto l

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Direto l Mas como saber se o endereço de destino está na mesma rede? l PASSO 3 l Compara-se o endereço de rede da máquina com o endereço de rede do destino: l Se forem iguais, o roteamento é direto (mesma rede IP); l Se forem diferentes, o roteamento é indireto (diferentes redes IP). l Exemplo: l Endereço de rede da máquina: 192. 168. 10. 0 l Endereço de rede do destino: 192. 168. 10. 0 l Resultado: l Mesma rede: Roteamento Direto!!!! 8

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Indireto l

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Indireto l Origem e Destino em redes distintas Tabela de Roteamento Destino 192. 168. 10. 15 Gateway 192. 168. 12. 15 192. 168. 10. 0 192. 168. 10. 15 0. 0 192. 168. 10. 1 Router 192. 168. 10. 0/24 192. 168. 12. 1 Tabela de Roteamento 192. 168. 12. 0/24 Tabela de Roteamento Destino Gateway Destino 192. 168. 10. 0 192. 168. 12. 0. . . . 192. 168. 10. 1 192. 168. 12. 1. . . . 192. 168. 12. 0 192. 168. 12. 15 0. 0 192. 168. 12. 1 Gateway 9

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Indireto l

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 1. Roteamento IP – Roteamento Indireto l Mas como saber se o endereço de destino está na mesma rede? l PASSO 1 l Endereço de rede: 192. 168. 10. 0 l PASSO 2 l Endereço IP destino: 192. 168. 12. 15 Endereço IP de destino 11000000. 10101000. 00001100. 00100001 Máscara de Rede 11111111. 0000 Endereço de Rede de destino 11000000. 10101000. 00001100. 0000 ___________________________________________________________________________________________ (AND) Endereço de Rede de destino: 192. 168. 12. 0/24 l PASSO 3 l Compara-se o endereço de rede da máquina com o endereço de rede do destino; l Exemplo: l Endereço de rede da máquina: 192. 168. 10. 0 l Endereço de rede do destino: 192. 168. 12. 0 l Resultado: l Redes Diferentes: Roteamento Indireto!!!! 10

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 2. Protocolos de Roteamento l Roteamento Estático

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 2. Protocolos de Roteamento l Roteamento Estático l Normalmente configurado manualmente l A tabela de roteamento é estática l As rotas não se alteram dinamicamente de acordo com as alterações da topologia da rede l Custo manutenção cresce de acordo com a complexidade e tamanho da rede l Sujeito a falhas de configuração l Roteamento Dinâmico l Divulgação e alteração das tabelas de roteamento de forma dinâmica l Sem intervenção constante do administrador l Alteração das tabelas dinamicamente de acordo com a alteração da topologia da rede l Adaptativo l Melhora o tempo de manutenção das tabelas em grandes redes l Mas também está sujeito a falhas 11

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 2. Protocolos de Roteamento l Roteamento Estático

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 2. Protocolos de Roteamento l Roteamento Estático 10. 35. 143. 1 10. 35. 143. 0 10. 35. 144. 1 Router 1 10. 35. 144. 2 Router 2 10. 35. 144. 0 10. 35. 146. 0 10. 35. 148. 1 10. 35. 148. 0 10. 35. 147. 1 Router 4 10. 35. 147. 2 10. 35. 147. 0 10. 35. 146. 1 10. 35. 146. 2 Router 3 Internet 12

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 2. Protocolos de Roteamento Dinâmico l Algoritmos

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 2. Protocolos de Roteamento Dinâmico l Algoritmos de Roteamento l Os protocolos de roteamento implementam um ou mais algoritmos de roteamento l Exemplos de Algoritmos l Vetor Distância, Flooding, SPF (Shortest Path First) etc. l Exemplos de protocolos l RIP (Routing Information Protocol) l OSPF (Open Shortest Path First) l IGRP (Interior Gateway Protocol) l BGP (Border Gateway Protocol) l etc. 13

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 3. Tabela de Roteamento R 1 R

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP 3. Tabela de Roteamento R 1 R 2 R 3 R 4 2. 0. 0. 0 Direto 190. 0. 1. 1 99. 2. 1. 3 210. 1. 2. 15 99. 0. 0. 0 Direto 200. 1. 240. 55 Direto 210. 1. 2. 15 190. 0 Direto 200. 1. 240. 66 210. 1. 2. 15 200. 1. 240. 0 99. 8. 5. 6 Direto 210. 1. 2. 15 210. 1. 2. 0 190. 0. 2. 2 Direto 200. 1. 240. 66 Direto 14

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP Bibliografia Material da Professora Ana Cristina Benso

Escola de Ciência e Tecnologia Arquitetura TCP/IP Bibliografia Material da Professora Ana Cristina Benso da Silva (UFRGS e PUC/RS) Apostila Arquitetura TCP/IP 15