Coordenao de Aperfeioamento do Pessoal de Nvel Superior

  • Slides: 8
Download presentation
Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior Seminário de Acompanhamento de Meio Termo

Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior Seminário de Acompanhamento de Meio Termo - Quadrienal 2017 -2020 Programas de Pós-Graduação da Area de Geociências Brasília – 29 e 30 de Agosto de 2019. Programa de Pós-Graduação em Meteorologia (PPGM) Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Coordenador: Leonardo F. Peres/Luiz Cláudio G. Pimentel Coordenador Substituto: Mauro Cirano Período do mandato: 08/2019 a 08/2021 Período Conceito Capes 2004 -2006 NA 2010 -2012 3 2007 -2009 NA 2013 -2016 3 4 https: //meteorologia. igeo. ufrj. br (atual) & http: //meteoro. ejcm. com. br/pos (em construção) [email protected] ufrj. br

FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Ano de início do Mestrado: 2009 Total de Mestres titulados:

FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS Ano de início do Mestrado: 2009 Total de Mestres titulados: 62 Ano de início do Doutorado: NA Total de Doutores titulados: NA Ano Total de Matriculados Mestrado Doutorado Total de Titulados Mestres Doutores Quadrienal 2017 -2020 2017 34 NA 6 NA 2018 29 NA 14 NA PPGM/UFRJ 2

Análise quantitativa da produção Total de artigos com discente Total de artigos sem discente

Análise quantitativa da produção Total de artigos com discente Total de artigos sem discente

Análise qualitativa da melhor produção Publicação Qualis Fator de Impacto Citações Web Sci. Citações

Análise qualitativa da melhor produção Publicação Qualis Fator de Impacto Citações Web Sci. Citações Google PANISSET, J. S. ; LIBONATI, R. ; GOUVEIA, C. P. ; MACHADO-SILVA, F. ; FRANÇA, D. A. ; FRANÇA, J. R. A. ; PERES, L. F. Contrasting patterns of the extreme drought episodes of 2005, 2010 and 2015 in the Amazon Basin. INTERNATIONAL JOURNAL OF CLIMATOLOGY, v. 38, p. 1096 -1104, 2018 A 1 3, 6 17 28 PANGALA, S. R. ; ENRICH-PRAST, A. ; BASSO, L. S. ; PEIXOTO, R. B. ; BASTVIKEN, D. ; HORNIBROOK, E. R. C. ; GATTI, L. V. ; RIBEIRO, H. ; CALAZANS, L. S. B. ; SAKURAGUI, C. M. ; BASTOS, W. R. ; MALM, O. ; GLOOR, E. ; MILLER, J. B. ; GAUCI, V. Large emissions from floodplain trees close the Amazon methane budget. NATURE, v. 552, p. 230 -234, 2017. A 1 41, 6 22 27 PERES, L. F. ; LUCENA, A. ; FRANÇA, J. R. A. ; ROTUNNO FILHO, O. C. . The urban heat island in Rio de Janeiro, Brazil, in the last 30 years using remote sensing data. INTERNATIONAL JOURNAL OF APPLIED EARTH OBSERVATIONAND GEOINFORMATION, v. 64, p. 104 -116, 2018. A 2 5, 2 12 21 BERNARDINO, B. S. ; VASCONCELLOS, F. C. ; NUNES, A. M. B. Impact of the equatorial Pacific and South Atlantic SST anomalies on extremes in austral summer precipitation over Grande river basin in Southeast Brazil. INTERNATIONAL JOURNAL OF CLIMATOLOGY, v. 38, p. e 131 -e 143, 2017. FRANÇA, G. B. ; ALMEIDA, M. V. ; BONNET, S. M. ; ALBUQUERQUE NETO, F. L. Nowcasting model of low wind profile based on neural network using SODAR data at Guarulhos Airport, Brazil. INTERNATIONAL JOURNAL OF REMOTE SENSING, v. 39, p. 2506 -2517, 2018.

IMPACTO SOCIAL E ECONÔMICO § Impacto e caráter inovador da produção intelectual em função

IMPACTO SOCIAL E ECONÔMICO § Impacto e caráter inovador da produção intelectual em função da natureza do programa & Impacto econômico, social e cultural do programa: • Composição do Corpo Docente (Meteorologia, Oceanografia, Geologia, Biologia, Engenharia, Física) que permite uma formação interdisciplinar e desenvolvimento de habilidades para que os discentes expandam as fronteiras do conhecimento, conduzam inovações e tenham um papel importante na economia global do conhecimento. • Egressos com capacidade inovadora, atitude mental diferenciada e espírito crítico que favorecem atividades de inovação: PETROBRAS, ONS, ELETROBRAS, DHN, CNEN, LNCC, CEPEL, CENPES, IBGE, ELETRONUCLEAR, INEA, SMAC, SIMERJ, Alerta Rio, INFRAERO, INMET, Força Aérea, ANA, CEMADEN, INPE, IMPA, CEFET-RJ, Universidades; • P&D que são diretamente absorvidos por instituições/empresas em diferentes áreas (Meteorologia, Oceanografia, Energia, Meio Ambiente, Aeronáutica, Saúde e Defesa Civil) na solução de problemas e criação de novos produtos e processos; • Publicações concentradas em revistas de alto impacto (A 1&A 2 = 41%); • 27 atividades de cooperação com a Educação Básica e Cursos de Extensão (2017 e 2018);

IMPACTO SOCIAL E ECONÔMICO § Internacionalização e visibilidade do programa: • Mobilidade acadêmica discente

IMPACTO SOCIAL E ECONÔMICO § Internacionalização e visibilidade do programa: • Mobilidade acadêmica discente e docente (acordos oficiais com instituições estrangeiras); • Estágio pós-doutoral no exterior = 3 docentes desde 2017; • Conferências e reuniões internacionais e nacionais (participação, organização, coordenação de sessões, comitês revisores); • Projetos em cooperação com instituições internacionais = 8; • Publicação qualificada (A 1&A 2 = 41%, A = 58%) com participação conjunta de pesquisadores estrangeiros (A 1&A 2 = 58%, A = 47%) ; • Participação em bancas no exterior; • Co-orientações em parceria com instituições estrangeiras; • Participação em organismos e organizações técnico-científicas internacionais; • Corpo editorial de diferentes periódicos internacionais e nacionais; • Prêmios e distinções internacionais; • Bolsa de produtividade CNPq e FAPERJ = 50% de docentes permanentes.

Autoavaliação do programa Ø A Instituição apresenta um processo de autoavaliação dos seu programas

Autoavaliação do programa Ø A Instituição apresenta um processo de autoavaliação dos seu programas de pósgraduação? Há uma avaliação, mas utilizada para distribuição de bolsas de PGs da reitoria; ØO programa tem um processo de autoavaliação para o quadriênio em andamento? Sim, desde 2013 criou-se uma Comissão de Avaliação Permanente que monitora e analisa o desempenho do PPGM de forma contínua com base nos quesitos avaliados pela CAPES e seus respectivos pesos. Ø O processo de autoavaliação resultou em um diagnóstico dos principais pontos a serem melhorados? Sim, os dados referentes a cada ciclo avaliativo são utilizados para identificar os pontos fortes e fracos do Programa e traçar estratégias para a avaliação do próximo ciclo. Objetivamente, contribuiu para o aumento da nota CAPES de 3 (no triênio 2010 – 2012) para 4 (no quadriênio 2013 – 2016), alavancar a produção de artigos nível A, aumentar a produção conjunta docente/discente, ampliar a porcentagem de docentes permanentes com produção qualificada, estender a área de atuação do programa e aprimorar o preenchimento na plataforma Sucupira. 7

Autoavaliação do programa ØForam definidas e implementadas metas para sanar as deficiências? Com base

Autoavaliação do programa ØForam definidas e implementadas metas para sanar as deficiências? Com base na análise da Comissão de Avaliação, diversos procedimentos foram implementados e incorporados à rotina acadêmica a partir do ano de 2014. Ø Qual a expectativa do programa em termos do atendimento das metas no final do quadriênio? A expectativa é de atendimento: elevada produção no Qualis A com participação discente; diminuição do tempo de integralização; distribuição equilibrada de orientação/docente; consolidação da internacionalização; inserção social; e processo de autoavaliação. ØOs critérios de credenciamento e descredenciamento do corpo docente permanente estão alinhados com a autoavaliação do programa? Sim. Os resultados da autoavaliação foram essenciais para estabelecer a política de acompanhamento de docentes do PPGM que inclui critérios de desempenho, descredenciamento. normas e periodicidade para o credenciamento, recredenciamento 8 e