CLIMA BRASIL CLIMA BRASIL A tropicalidade brasileira antes

  • Slides: 35
Download presentation
CLIMA BRASIL

CLIMA BRASIL

CLIMA BRASIL A tropicalidade brasileira é antes de mais nada a consequência de um

CLIMA BRASIL A tropicalidade brasileira é antes de mais nada a consequência de um conjunto de fatores que atuam no território brasileiro.

CLIMA BRASIL LATITUDE O Brasil apresenta quase 40° de variação latitudinal, o que caracteriza

CLIMA BRASIL LATITUDE O Brasil apresenta quase 40° de variação latitudinal, o que caracteriza um importante fator de diferenciação climática. O território brasileiro se estende de 32º sul até 5º norte de latitude. Esta posição localiza 92º do nosso território, na Zona Intertropical, delimitada pelos Trópicos de Capricórnio e Trópico de Câncer que tem como característica o domínio de climas quentes com alta incidência de luz solar. Apensas uma parte da região sul, 8% localiza se abaixo do Trópico de Capricórnio, na Zona Temperada Sul, com temperaturas mais amenas em relação ao restante do território. Nas altas latitudes, as temperaturas são mais baixas e as amplitudes térmicas são maiores. Nas cidades próximas à linha do Equador, como são o caso das regiões Norte e Nordeste brasileiras, a amplitude térmica é menor e a temperatura é mais alta do que nas cidades do Sul e do Sudeste, em virtude das diferenças de latitude existentes entre elas.

CLIMA BRASIL

CLIMA BRASIL

CLIMA BRASIL Maior latitude = Menor temperatura – maior pressão Menor latitude = Maior

CLIMA BRASIL Maior latitude = Menor temperatura – maior pressão Menor latitude = Maior temperatura – menor pressão Não podemos esquecer que o movimento de translação que explica as estações do ano interfere na dinâmica do clima. Nas regiões mais próximas ao Equador as diferenças entre as estações são pequenas, na região Sul as diferenças entre inverno e verão são mais acentuadas.

CLIMA BRASIL ALTITUDE Fator que interfere diretamente na temperatura. O calor é irradiado da

CLIMA BRASIL ALTITUDE Fator que interfere diretamente na temperatura. O calor é irradiado da superfície para a atmosfera. Quanto maior a altitude, mais rarefeito torna se o ar, ocorrendo também menor irradiação, logo menores temperaturas. Maior altitude = Menor temperatura – menor pressão Menor altitude = Maior temperatura – maior pressão A influência da altitude, isolada de outros fatores, não é muito marcante no Brasil, pois a variação altimétrica que varia de próximo de 0 a 3014 m no Pico da Neblina (AM), tem mais de 95% do relevo está abaixo de 1200 m de altitude.

CLIMA BRASIL

CLIMA BRASIL

CLIMA BRASIL MARITIMIDADE O clima brasileiro é muito influenciado por este fator climático, pois

CLIMA BRASIL MARITIMIDADE O clima brasileiro é muito influenciado por este fator climático, pois nosso país possui uma extensa faixa litorânea a leste de seu território. As temperaturas são mais estáveis, devido ao “efeito regulador térmico” que as águas do oceano exercem sobre a faixa litorânea. A cidade de Santos, em São Paulo, por exemplo, possui menor amplitude térmica do que a cidades localizadas no interior do território brasileiro, como as dos estados de Mato Grosso do Sul, que sofrem o efeito da continentalidade.

CLIMA BRASIL CONTINENTALIDADE O Brasil possui 4. 300 km no sentido leste oeste. As

CLIMA BRASIL CONTINENTALIDADE O Brasil possui 4. 300 km no sentido leste oeste. As áreas do interior do Brasil sofrem maior influência da continentalidade. Excluindo a região da Amazônia, que retém muita umidade em função da vegetação, as outras áreas do interior do Brasil possuem clima caracterizado por baixa umidade do ar. A cidade de Brasília, por exemplo, situada bem no interior do território brasileiro, sofre com os baixos índices de umidade do ar.

CLIMA BRASIL CORRENTES MARÍTIMAS O território brasileiro sofre a influência de três correntes marítimas:

CLIMA BRASIL CORRENTES MARÍTIMAS O território brasileiro sofre a influência de três correntes marítimas: uma fria e duas quentes: a corrente do Brasil, que se desloca do norte para o Sul, e a corrente das Guianas, que se desloca no sentido contrário, ou seja, do sul para o norte, são quentes e contribuem para a manutenção de climas quentes no país. A corrente das Malvinas é uma corrente fria que acompanha o litoral sul e sudeste do Brasil.

CLIMA BRASIL

CLIMA BRASIL

CLIMA BRASIL VEGETAÇÃO Não é somente o clima que interfere nas vegetações. O oposto

CLIMA BRASIL VEGETAÇÃO Não é somente o clima que interfere nas vegetações. O oposto também ocorre. Florestas densas com árvores altas como na região equatorial fornecem muita umidade para a atmosfera e dificultam a circulação de ventos na superfície. Formações abertas e de pequeno porte como a caatinga no Sertão nordestino fornecem pouca umidade para a atmosfera e facilitam a circulação de ventos na superfície. Formações fechadas Florestas

CLIMA BRASIL

CLIMA BRASIL

CLIMA BRASIL EXERCÍCIOS 1. “No Brasil a _____ e a _____, juntamente com a

CLIMA BRASIL EXERCÍCIOS 1. “No Brasil a _____ e a _____, juntamente com a ação _____ em todo o território, explicam porque a maioria dos climas são ______. ” Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do texto. a) Latitude; altitude; das massas de ar; tropicais. b) Corrente do Golfo; latitude; das massas de ar; equatoriais. c) Latitude; altura; das correntes marinhas; tropicais. d) Altitude; corrente das Malvinas; da latitude; subtropicais. e) Latitude; altitude; da corrente de Humboldt; quentes.

CLIMA BRASIL EXERCÍCIOS 3. A cidade do Rio de Janeiro tem uma temperatura média

CLIMA BRASIL EXERCÍCIOS 3. A cidade do Rio de Janeiro tem uma temperatura média anual em torno de 23ºC, apresentando uma relativa uniformidade térmica ao longo do ano, enquanto a estação meteorológica localizada no município de Itatiaia registra médias anuais em torno de 8ºC. Assinale a alternativa que apresenta a explicação correta para este fato. a) A posição em latitude determina o volume de insolação que um determinado lugar recebe e as diferenças térmicas entre os lugares. b) A proximidade dos corpos hídricos influencia a temperatura do ar devido às características térmicas das superfícies continentais. c) A influência da altitude explica a diferença de temperatura entre lugares situados à pequena distância um do outro e na mesma faixa de latitude. d) A ação das correntes oceânicas influencia a temperatura do ar porque transportam “calor” ou “frio” de um lugar para outro. e) A proximidade das massas florestais determina as variações sazonais da temperatura entre os lugares devido ao volume de insolação recebido.

CLIMA BRASIL EXERCÍCIOS 2. Em função de sua localização geográfica e particularidades físicas, diversos

CLIMA BRASIL EXERCÍCIOS 2. Em função de sua localização geográfica e particularidades físicas, diversos fatores podem modificar o comportamento dos elementos que caracterizam o clima brasileiro. Sendo assim, é correto afirmar que a) apesar da altitude ser um importante fator climático, somente sua influência não é um fator muito marcante no Brasil, porque mais de do relevo nacional está a menos de de altitude. b) a variação latitudinal brasileira é inexpressiva, influenciando pouco na diversificação climática do território nacional, fato que torna o clima tropical o mais abrangente no país. c) a extensão leste oeste do território nacional lhe confere pouca influência da continentalidade e maritimidade, fato que explica as grandes amplitudes térmicas das áreas situadas próximas aos litorais. d) as temperaturas, ao longo da faixa litorânea setentrional nacional, sofrem influência direta de duas correntes marinhas durante o ano: a corrente quente do Brasil e a corrente frio das Malvinas. e) a Região Sul, por apresentar as maiores altitudes do país, somadas à sua localização latitudinal, apresenta as menores amplitudes térmicas anuais, proporcionando a essa área do país invernos muito frios e verões muito quentes.

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL A DIN MICA DAS MASSAS DE AR As

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL A DIN MICA DAS MASSAS DE AR As massas de ar são volumes de ar acumulados que possuem características em comum, como temperatura e umidade, e que se formam sobre grandes áreas uniformes de terra ou água. Estão em constante deslocamento que ocorre em virtude das diferenças de pressão. O movimento sempre acontece das zonas de alta para as zonas de baixa pressão e determinam, assim, a dinâmica geral da circulação atmosférica e as formações dos diferentes tipos climáticos. As massas de ar tem suas características de temperatura e umidade determinadas pelas regiões de origem.

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL AS MASSAS DE AR NO BRASIL Por estar

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL AS MASSAS DE AR NO BRASIL Por estar localizado no hemisfério sul, onde a superfície coberta por água é muito maior que as áreas continentais, e também por apresentar um relevo com poucas grandes ondulações, o Brasil acaba sofrendo forte influência das massas de ar. As massas de ar que mais interferem no Brasil (IBGE) são: m. Ec: Massa Equatorial Continental quente e úmida m. Ea: Massa Equatorial Atlântica quente úmida m. Tc: Massa Tropical Continental quente e seca m. Ta: Massa Tropical Atlântica quente úmida m. Pa: Massa Polar Atlântica fria e seca (no início, é fria e úmida)

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Ação da m. Ec – Massa Equatorial Continental

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Ação da m. Ec – Massa Equatorial Continental É uma massa quente e úmida por formar se na região Amazônica. Região de baixa latitude e baixa pressão, área de muitos rios e domínio da floresta equatorial. É responsável pelas altas temperaturas e altos índices pluviométricos da região da Amazônia. Sua mais forte ação acontece no verão onde transporta umidade para outras regiões do país, devido ao processo de evapotranspiração da floresta. Evento de precipitação sobre rio da Amazônia, cuja ocorrência é propiciada pela atuação da massa equatorial continental.

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL ALTAS TEMPERATURAS + FLORESTA = CHUVAS DIÁRIAS

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL ALTAS TEMPERATURAS + FLORESTA = CHUVAS DIÁRIAS

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Ação da m. Ea – Massa Equatorial Atlântica

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Ação da m. Ea – Massa Equatorial Atlântica Massa quente e úmida que se forma na porção do Atlântico próximo à região equatorial. Durante o verão do hemisfério sul atua nos litorais das regiões Norte e Nordeste. É responsável pela formação dos ventos alísios do nordeste. Ao encontrar a m. Pa, provoca chuvas frontais de alta intensidade. MARITIMIDADE + DIN MICA DA ATMOSFERA = VENTOS ALÍSEOS NO NORDESTE

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Ação dos Ventos Alísios e as Massas de

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Ação dos Ventos Alísios e as Massas de Ar Os ventos alísios são originados do deslocamento das massas de ar frio das zonas de alta pressão, que se formam nos trópicos, para as zonas de baixa pressão, situadas no equador. Devido a um efeito ocasionado pelo movimento de rotação da Terra, o efeito de Coriolis, os ventos nas faixas intertropicais sopram no sentido antihorário no hemisfério sul, e no sentido horário no hemisfério norte. São massas de ar tépidas (menos quentes) que viajam a velocidades baixas (<5 m/s) pelas camadas inferiores da troposfera, pois são travados pela fricção com a superfície. Na região da linha do Equador, devido ao aquecimento constante e quase uniforme é formada uma zona de baixa pressão (chamada de ZCIT – Zona de Convergência Intertropical) para a qual se deslocam os ventos alísios de sudeste, vindos do hemisfério sul, e os ventos alísios de nordeste, vindos do hemisfério norte. Ambos formam se em latitudes de cerca de 30º nos dois hemisférios. Ao chegar á zona de baixa pressão do equador, os ventos alísios provocam chuvas, se aquecem e ascendem. Então, viajam de volta à região de origem, viajando pelas camadas mais altas da troposfera. São ventos “contra alísios”, que se dirigem até as zonas dos cinturões anticiclônicos, mantendo se assim, o sistema de circulação entre zonas tropicais e subtropicais e a zona equatorial, eles carregam a umidade marítima para a faixa leste mais próxima do litoral do Brasil

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Ação da m. Ta – Massa Tropical Atlãntica

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Ação da m. Ta – Massa Tropical Atlãntica Quente e úmida, origina se no atlântico Sul e atua em toda faixa oriental do litoral brasileiro. É responsável pela umidade e manutenção de altas temperaturas na faixa É responsável pelas chuvas frontais no litoral, em destaque no Sul e no Sudeste. O encontro desta massa de ar com a Polar Atlântica, que chega do sul, principalmente durante o inverno, provoca as tão famosas e odiadas frentes frias tão frequentes não só aqui em nossa cidade, como em toda região sul e sudeste. Também nessas regiões, o encontro desta massa com as áreas de relevos mais elevados da Serra do Mar provocam as chuvas orográficas ou de relevo durante todo ano. UMIDADE + RELEVO = CHUVAS OROGRÁFICAS

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Massa Tropical Continental ALTA TEMPERATURA + CONTINENTALIDADE =

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Massa Tropical Continental ALTA TEMPERATURA + CONTINENTALIDADE = BAIXA UMIDADE Esta massa de ar é também conhecida como bloqueio atmosférico e tem sua origem no interior do continente, na área de depressão do Chaco, entre Paraguai, Bolívia e Argentina, área de altas temperaturas e pouca umidade, portanto tem como característica ser seca e quente. O bloqueio atmosférico, pode durar mais de 15 dias. Durante o final de maio e começo de junho é comum ocorrer fortes episódios e na região sul é conhecido como "veranico" em função de provocar um grande aumento de temperatura para uma época que já é frio na região. A ocorrência maior é durante os meses de primavera, começo do outono e final do inverno. Essa massa pode provocar, sobretudo, no Centro Oeste, com a alternância das estações, períodos chuvosos e também secos.

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Ação da m. Pa – Massa Polar Atlântica

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Ação da m. Pa – Massa Polar Atlântica A m. Pa é a única massa polar que atua no Brasil. Originária do extremo sul da Argentina, na região da Patagônia, nasce fria e seca, ganha umidade na medida que se desloca nas porções do Oceano Atlântico até chegar ao território brasileiro. Mais intensa no inverno, ao penetrar no Brasil sob a forma de frente fria, provoca chuvas e declínio da temperatura. Seu avanço tem três trajetórias distintas, provocando os seguintes fenômenos climáticos: Na faixa litorânea, destaque para o Nordeste, provoca chuvas fortes no seu encontro com as massas m. Ta e m. Ec. Estas chuvas podem ser frontais com alta intensidade. frentes frias quando encontra com a m. Ta, provoca chuvas de frentes ou frontal e chuvas intensas Na região sul, nos meses de inverno, provoca frio com geadas e com possibilidade de neve na região serrana e ventos forte como o Minuano. Fenômeno da “Friagem”, quando penetrando pelas planícies da área central do país chega ao oeste da Amazônia, causando queda brusca de temperatura. E finalmente, quando sobe pelos vales e serras do Sul do Brasil, provoca a formação de geada, precipitação de neve ou fortes ventos, como o Minuano e o Pampeiro.

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Atuam no verão Atuam no inverno Quatro massas

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL Atuam no verão Atuam no inverno Quatro massas de ar quente exercem influência sobre o país: a m. Ec, a m. Ea, a m. Ta e a m. Tc, sendo seca apenas esta última. Portanto, o verão é o período das chuvas na maior parte do território brasileiro. Nessa estação do ano, a m. Pa pode avançar sobre a região Sul do país e provocar queda de temperatura e chuvas frontais. A atuação da m. Ec é mais restrita à região Norte, a m. Ta continua a atuar no país e a m. Pa passa a atingir o território brasileiro, provocando baixas temperaturas na região Sul, Sudeste e na parte sul do Centro Oeste, chegando até a região Norte.

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

A DIN MICA DO CLIMA BRASIL

Exercícios I. A Massa Equatorial Continental é a única massa continental do planeta com

Exercícios I. A Massa Equatorial Continental é a única massa continental do planeta com características úmidas, devido à grande extensão da floresta amazônica e sua evapotranspiração. II. A Massa Polar Atlântica é a responsável pelas ondas de frio que atingem o Brasil devido ao abastecimento polar proveniente do Ártico. III. A direção predominante dos ventos originados na Massa Tropical Atlântica sobre a fachada sul do Brasil é de oeste. IV. As massas Tropical Atlântica e Equatorial do Atlântico Norte são as formadoras, respectivamente, dos alísios de sudeste e nordeste que atuam sobre o Brasil.

Exercícios 2. Assinale a alternativa correta em relação às características e à atuação das

Exercícios 2. Assinale a alternativa correta em relação às características e à atuação das massas de ar sobre o território brasileiro. a) Massa tropical atlântica: quente e úmida, provoca chuvas no litoral das regiões nordeste, sudeste e sul do Brasil. b) Massa equatorial atlântica: quente e seca, responsável pelas secas periódicas na região nordeste. c) Massa equatorial continental: quente e úmida, é o maior mecanismo formador de chuvas nas regiões sudeste e sul do Brasil. d) Massa tropical continental: fria e seca, provoca chuvas convectivas no Brasil central. e) Massa polar atlântica: fria e úmida, é a principal responsável pelas fortes chuvas em Santa Catarina, nos meses de verão.

Exercícios (Espcex (Aman) 2016) As chuvas torrenciais de verão, denominadas chuvas _____, são caracterizadas

Exercícios (Espcex (Aman) 2016) As chuvas torrenciais de verão, denominadas chuvas _____, são caracterizadas por serem precipitações breves, mas violentas, que ocorrem na maior parte do território brasileiro. Essas chuvas estão associadas ao deslocamento da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) para a porção central da América do Sul entre os meses de setembro e março, fazendo com que a massa _____ expanda se para a Bolívia e Brasil central, chegando a atuar sobre São Paulo, provocando os chamados aguaceiros de verão. Assinale a alternativa que completa corretamente as lacunas acima. a) convectivas / Equatorial continental (m. Ec) b) orográficas / Tropical continental (m. Tc) c) convectivas / Equatorial atlântica (m. Ea) d) orográficas / Equatorial continental (m. Ec) e) frontais / Equatorial atlântica (m. Ea)