Aula Independncia na Amrica Latina 1 Processo de

  • Slides: 8
Download presentation
Aula Independência na América Latina 1. Processo de rompimento das colônias espanholas com o

Aula Independência na América Latina 1. Processo de rompimento das colônias espanholas com o reino. 2. Sistema administrativo A. Vice-reinados B. Universidades 3. População colonial: A. Maioria de índios B. Mestiços C. Brancos – maioria criollos (espanhóis nascidos na América)

4. Século XVIII – Crise do Antigo Regime: crise financeira espanhola A. Tentativa de

4. Século XVIII – Crise do Antigo Regime: crise financeira espanhola A. Tentativa de maior arrecadação da colônia I. REFORMAS BOURBÔNICAS – modernização adm. Carlos III Déspota esclarecido Ø Intendências – diminuição dos vice-reis Ø Subst. Dos alcaides – diminuição do poder dos criollos ØExpulsão dos Jesuítas ØAbertura dos exércitos aos criollos – permite a criação de lideranças locais no exército II. Resultado: insatisfação criolla

5. 1808 – Invasão Napoleônica – deposição de Fernando VII e assume José Bonaparte

5. 1808 – Invasão Napoleônica – deposição de Fernando VII e assume José Bonaparte A. Adm dos cabildos e nas Juntas governativas - o mesmo nas colônias I. Junta Central – Oposição ao rei napoleônico (Cádiz) • Redação de uma Constituição em 1810 (Constituição de Cádiz) • 30 representantes da América - desejo: monarquia e não rompimento B. 1814 – Expulsão dos Franceses e retomada de Fernando VII I. Não reconhecimento da autoridade das Juntas Americanas II. Rompimento da elite criolla com a metrópole – início das guerras de Independência

MÉXICO Pd. Miguel Hidalgo Grito de Dolores (1810): liderado pelo padre, reuniu índios e

MÉXICO Pd. Miguel Hidalgo Grito de Dolores (1810): liderado pelo padre, reuniu índios e mestiços, com apoio dos criollos. Era contra os tributos e desejava encerrar o domínio espanhol e devolução de terras aos indígenas. Após o levante se tornar um conflito entre índios e brancos, os criollos retiraram o apoio e reprimiram o movimento, com a prisão de Hidalgo e seu fuzilamento em 1811. José Maria Morelos Proclamou a Independência Mexicana em 1813. Tinha uma proposta liberal, com uma Constituição, para aproximar a elite criolla. Defendia o respeito à propriedade privada e fim de leis que restringiam o avanço das classes baixas. Com o retorno de Fernando VII ao poder na Espanha, foi perseguido pelos realistas no México, sendo executado em 1815.

MÉXICO Augustín de Iturbide Idealizador do Plano de Iguala, que defendia os princípios da

MÉXICO Augustín de Iturbide Idealizador do Plano de Iguala, que defendia os princípios da Constituição de Cadiz: Monarquia Católica Constitucional, fim do sistema de castas e acesso aos cargos públicos a todos. Foi o rompimento definitivo com a Espanha. Augustín se torna imperador, centralizando o poder, não respeitando o Plano. Foi preso, deposto e, posteriormente, executado em 1824. Com a deposição de Augustín, foi criada uma Nova Constituição estabelecendo uma república federativa.

NOVA GRANADA E O PRATA Simón Bolivar Liderou a campanha de independência em Nova

NOVA GRANADA E O PRATA Simón Bolivar Liderou a campanha de independência em Nova Granada e na Venezuela. Tinha uma ideia centralista, com a formação de um grande território coeso e unido após a independência. Suas propostas estão reunidas do documento denominado “Carta da Jamaica”, de 1815. Em 1819, ele inicia a independência do território de Bogotá, se encerrando em 1821, com a vitória bolivariana na Venezuela. José de San Martin Articulador da independência do Alto Peru, após a declaração de Independência das Províncias Unidas do Prata. O Peru era de grande importância para a sobrevivência do Porto de Buenos Aires por conta de seu carregamento de prata. Em 1821, ingressa na região a tornando independente. Com o objetivo de evitar revoltas, assumiu o controle com medidas liberais, abolindo a escravidão e os impostos indígenas.