AUDINCIAS PBLICAS Servios de Limpeza Urbana do Municpio

  • Slides: 49
Download presentation
AUDIÊNCIAS PÚBLICAS Serviços de Limpeza Urbana do Município de Porto Alegre

AUDIÊNCIAS PÚBLICAS Serviços de Limpeza Urbana do Município de Porto Alegre

AUDIÊNCIAS PÚBLICAS Objeto desta audiência: Próxima audiência: Ø Coleta seletiva de resíduos Ø Instalação

AUDIÊNCIAS PÚBLICAS Objeto desta audiência: Próxima audiência: Ø Coleta seletiva de resíduos Ø Instalação de ecopontos sólidos recicláveis Ø Transporte de resíduos para o destino final

Dinâmica da Audiência 1 – Abertura (14 h 30 min): 15 min 2 –

Dinâmica da Audiência 1 – Abertura (14 h 30 min): 15 min 2 – Apresentação: 65 min 3 – Grupo de Observadores: 10 min 4 – Participação do público *perguntas escritas: 30 min *perguntas orais: 60 min 5 – Encerramento: 17 h 30 min 6 – Elaboração da ata

Participação do público Perguntas escritas Ø Os formulários com as perguntas serão recolhidos pela

Participação do público Perguntas escritas Ø Os formulários com as perguntas serão recolhidos pela organização do evento e entregues à mesa Ø Esgotado o tempo e restando perguntas não respondidas, as respostas serão disponibilizadas no www. portoalegre. rs. gov. br/limpezaurbana. site

Participação do público Perguntas orais Ø Por ordem de inscrição do interessado Ø Tempo

Participação do público Perguntas orais Ø Por ordem de inscrição do interessado Ø Tempo de 2 minutos para a pergunta Ø Nova pergunta, nova inscrição ü As perguntas deverão versar exclusivamente sobre o objeto desta audiência pública.

3ª AUDIÊNCIA PÚBLICA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS RECICLÁVEIS Política para o desenvolvimento da

3ª AUDIÊNCIA PÚBLICA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS RECICLÁVEIS Política para o desenvolvimento da economia da reciclagem de resíduos Aspectos técnicos da licitação dos serviços de coleta seletiva

Coleta seletiva Política para o desenvolvimento da economia da reciclagem de resíduos

Coleta seletiva Política para o desenvolvimento da economia da reciclagem de resíduos

Coleta seletiva Diretrizes do DMLU para a coleta seletiva Ø A competência para a

Coleta seletiva Diretrizes do DMLU para a coleta seletiva Ø A competência para a gestão, a prestação do serviço e a fiscalização da contratada é do DMLU Ø O aumento da eficiência na execução do serviço, com a melhoria da coleta no centro de Porto Alegre Ø A ampliação da freqüência de coleta (2 vezes/semana) Ø A conteinerização da coleta nos grandes geradores de resíduos sólidos recicláveis

Coleta seletiva Diretrizes DMLU Ø A utilização de veículos especiais para a coleta no

Coleta seletiva Diretrizes DMLU Ø A utilização de veículos especiais para a coleta no centro da cidade e nos geradores de resíduos recicláveis especiais Ø A organização dos carroceiros e carrinheiros em cooperativas ou associações para a triagem e a comercialização de resíduos, com a gestão sob a responsabilidade dos associados Ø A ampliação do número de unidades de triagem para atender às novas cooperativas ou associações.

Coleta seletiva Situação atual Ø A coleta seletiva em Porto Alegre é feita há

Coleta seletiva Situação atual Ø A coleta seletiva em Porto Alegre é feita há 17 anos Ø A produção diária é estimada em 60 toneladas Ø A coleta é feita duas vezes por semana em onze bairros e uma vez por semana nos demais Ø O DMLU já faz a coleta de resíduos recicláveis em grandes geradores cadastrados

Coleta seletiva Situação atual Ø A frota de veículos usados na coleta seletiva está

Coleta seletiva Situação atual Ø A frota de veículos usados na coleta seletiva está sucatada Ø Os resíduos recicláveis são entregues em 13 Unidades de Triagem conveniadas com o DMLU e na Unidade de Triagem e Compostagem da Lomba do Pinheiro Ø 700 trabalhadores atuam nas Unidades de Triagem, com uma renda média por trabalhador de R$ 120, 00/semana.

Coleta seletiva PROJETO CEMAR - Central de Materiais Recicláveis Ø Projeto de intervenção do

Coleta seletiva PROJETO CEMAR - Central de Materiais Recicláveis Ø Projeto de intervenção do poder público regulando a coleta de resíduos recicláveis e diminuindo conflitos de interesses Ø Desenvolvimento da economia da reciclagem de resíduos, com a melhoria da qualidade dos materiais e dos preços Ø Prevalência do interesse coletivo e das ações solidárias em detrimento dos interesses e ações individuais Ø Estímulo à organização dos trabalhadores em cooperativas

Coleta seletiva PROJETO CEMAR Ø Garantia de melhores condições de vida, trabalho e renda

Coleta seletiva PROJETO CEMAR Ø Garantia de melhores condições de vida, trabalho e renda para os carroceiros e carrinheiros Ø Formalização de acordos com o poder público, tais como convênios para o repasse de recursos financeiros Ø Regularização de depósitos clandestinos Ø Implantação da Unidade de Referência “CEMAR Ilhas” e expansão da rede de Unidades de Triagem.

Coleta seletiva PROJETO CEMAR Implantação de Unidades de Triagem Ø UT Aparecida das Águas:

Coleta seletiva PROJETO CEMAR Implantação de Unidades de Triagem Ø UT Aparecida das Águas: na Ramiro Barcelos, entre a Voluntários da Pátria e a Castelo Branco, com o pessoal que faz a triagem no túnel. Permitirá o aumento do nº de participantes Ø UT Santa Teresinha: na Ramiro Barcelos, entre a Voluntários da Pátria e a Castelo Branco, com o pessoal da rua Paraíba, 177. Proporcionará o aumento do nº de participantes

Coleta seletiva PROJETO CEMAR – Implantação de UT’s Ø UT de Resíduos Hospitalares: na

Coleta seletiva PROJETO CEMAR – Implantação de UT’s Ø UT de Resíduos Hospitalares: na Lomba do Pinheiro, para os resíduos hospitalares não contaminantes. UT nova, para mais 60 participantes Ø UT Vila Dique: com a área já definida, a ser construída no novo local destinado à população das vilas Dique e Nazaré, após a transferência dos moradores.

Coleta seletiva PROJETO CEMAR Perspectivas ØResolução de conflitos ØMelhoria das condições ambientais da cidade

Coleta seletiva PROJETO CEMAR Perspectivas ØResolução de conflitos ØMelhoria das condições ambientais da cidade ØMelhoria da qualidade de vida dos carroceiros e carrinheiros ØDiversificação da atividade econômica nas ilhas, gerando novas fontes de renda ØAumento do volume da coleta seletiva de resíduos recicláveis

Coleta seletiva PROJETO CEMAR - Perspectivas Ø Diminuição dos custos com a coleta domiciliar,

Coleta seletiva PROJETO CEMAR - Perspectivas Ø Diminuição dos custos com a coleta domiciliar, com o transporte de resíduos domiciliares e com o aterro sanitário Ø Instalação de novas Unidades de Referência (CEMAR) Ø Visão de futuro: pólo de ecoturismo nas ilhas.

Coleta seletiva PROJETO CEMAR Parceiros estratégicos Ø Ministério do Trabalho e Emprego Ø Banco

Coleta seletiva PROJETO CEMAR Parceiros estratégicos Ø Ministério do Trabalho e Emprego Ø Banco do Brasil: Programa de Desenvolvimento Regional Sustentável Ø BNDES Ø Iniciativa privada, em especial os compradores dos materiais Ø Organizações de apoio a projetos de inclusão social.

Coleta seletiva 1ª Unidade de Referência – CEMAR Ilhas Ø Público alvo: carroceiros e

Coleta seletiva 1ª Unidade de Referência – CEMAR Ilhas Ø Público alvo: carroceiros e carrinheiros residentes nas ilhas Ø Áreas prioritárias beneficiadas: ilhas e centro de Porto Alegre Ø Criação de um conselho gestor, com a participação do poder público, dos trabalhadores e da comunidade Ø Definição clara e objetiva das atribuições do Município e das cooperativas ou associações dos trabalhadores.

Coleta seletiva Unidade de Referência – CEMAR Ilhas Objetivos Ø Geração e aumento de

Coleta seletiva Unidade de Referência – CEMAR Ilhas Objetivos Ø Geração e aumento de renda, assegurando aos moradores das ilhas trabalho e previsibilidade dos ganhos Ø Erradicação do trabalho infantil Ø Melhorias no trânsito, especialmente na ponte do Guaíba, no centro de Porto Alegre e nas principais vias da cidade Ø Educação ambiental Ø Tratamento adequado aos animais de tração.

Coleta seletiva Unidade de Referência – CEMAR Ilhas Infra-estrutura Ø Uma Unidade de Triagem

Coleta seletiva Unidade de Referência – CEMAR Ilhas Infra-estrutura Ø Uma Unidade de Triagem de resíduos sólidos recicláveis Ø Cozinha, refeitório, sanitários e vestiários Ø Creche e centro de capacitação dos trabalhadores Ø Posto de saúde Ø Outros equipamentos.

Coleta seletiva Unidade de Referência – CEMAR Ilhas Atribuições do Município Ø Implantar a

Coleta seletiva Unidade de Referência – CEMAR Ilhas Atribuições do Município Ø Implantar a infra-estrutura e fornecer os equipamentos necessários ao funcionamento da Unidade de Triagem - UT Ø Coletar e transportar os resíduos recicláveis até a UT Ø Cadastrar os carroceiros e carrinheiros Ø Capacitar os trabalhadores para a implantação e a gestão das UT’s

Coleta seletiva CEMAR Ilhas: Atribuições do Município Ø Apoiar e assessorar os gestores da

Coleta seletiva CEMAR Ilhas: Atribuições do Município Ø Apoiar e assessorar os gestores da cooperativa/associação Ø Fazer o acompanhamento e a avaliação dos resultados Ø Estruturar as unidades de ensino e saúde Ø Transportar os trabalhadores e seus familiares das ilhas até a Unidade de Referência e desta de volta às ilhas Ø Repassar recursos para a manutenção da Unidade de Referência.

Coleta seletiva Unidade de Referência – CEMAR Ilhas Atribuições da cooperativa/associação Ø Definir os

Coleta seletiva Unidade de Referência – CEMAR Ilhas Atribuições da cooperativa/associação Ø Definir os participantes Ø Fazer a seleção e a comercialização dos materiais Ø Gerir a Unidade de Triagem, com o apoio e a assessoria do Município Ø Desenvolver alternativas de geração de renda e trabalho nas ilhas.

Coleta seletiva Aspectos técnicos da licitação do serviço de coleta seletiva de resíduos recicláveis

Coleta seletiva Aspectos técnicos da licitação do serviço de coleta seletiva de resíduos recicláveis

Coleta seletiva Definição Coleta porta de resíduos sólidos recicláveis gerados nos imóveis residenciais do

Coleta seletiva Definição Coleta porta de resíduos sólidos recicláveis gerados nos imóveis residenciais do município de Porto Alegre, bem como a coleta de resíduos recicláveis produzidos por grandes geradores, tais como órgãos públicos, empresas e condomínios residenciais.

Coleta seletiva Locais de prestação do serviço Ø Porta a porta, nas vias públicas

Coleta seletiva Locais de prestação do serviço Ø Porta a porta, nas vias públicas de Porto Alegre Ø Nos grandes geradores cadastrados.

Coleta seletiva Freqüência e horários Ø Duas vezes por semana, inclusive nos feriados Ø

Coleta seletiva Freqüência e horários Ø Duas vezes por semana, inclusive nos feriados Ø De segunda a sexta-feira: das 8 h às 12 h e das 13 h 30 min às 17 h 30 min Ø Aos sábados: das 8 h às 12 h Ø Dias de coleta e horários conforme setores definidos pelo DMLU.

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø Coleta porta e transporte dos resíduos recicláveis em

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø Coleta porta e transporte dos resíduos recicláveis em caminhões com carroceria alta, de madeira, tipo “boiadeiro”, dotados de contentores para transporte de recipientes e cacos de vidro Ø Utilização de veículos especiais para a coleta na área central de Porto Alegre

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø A coleta de resíduos recicláveis não contaminantes (não

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø A coleta de resíduos recicláveis não contaminantes (não patológicos) de hospitais e clínicas será feita com caminhão de carroceria metálica tipo “baú”, dotado de contentores para o transporte de recipientes e cacos de vidro Ø Nos geradores cadastrados cuja produção de resíduos recicláveis exija maior freqüência de coleta serão utilizados contêineres basculáveis

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø A coleta em grandes geradores cadastrados obedecerá a

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø A coleta em grandes geradores cadastrados obedecerá a roteiros e dias pré-determinados Ø O número de geradores e os locais cadastrados poderão ser alterados na vigência do contrato Ø Nos geradores cadastrados, se solicitado ao DMLU, os resíduos recicláveis deverão ser coletados no interior dos imóveis

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø Os roteiros das equipes em cada setor serão

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø Os roteiros das equipes em cada setor serão definidos e dimensionados pela contratada de modo a permitir a execução completa do serviço dentro dos horários estabelecidos pelo DMLU Ø Os roteiros deverão ser apresentados ao DMLU em mapas viários impressos e em meio magnético, pelo sistema de geoprocessamento

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø A coleta seletiva será realizada a pé nos

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø A coleta seletiva será realizada a pé nos locais onde não haja acesso a qualquer tipo de veículo coletor Ø Os locais de descarga dos resíduos coletados são as Unidades de Triagem conveniadas com o DMLU, atualmente em número de treze Ø A Unidade de Triagem e Compostagem da Lomba do Pinheiro também receberá resíduos da coleta seletiva

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø Os locais de descarga poderão ser estendidos a

Coleta seletiva Metodologia de trabalho Ø Os locais de descarga poderão ser estendidos a novas Unidades de Triagem que venham a ser conveniadas com o DMLU durante a vigência do contrato Ø É vedada a descarga dos resíduos recicláveis fora dos locais e na forma indicados pelo DMLU.

Coleta seletiva Equipamentos (quantidade mínima) Ø 19 caminhões coletores com capacidade mínima de 25

Coleta seletiva Equipamentos (quantidade mínima) Ø 19 caminhões coletores com capacidade mínima de 25 m³, dotados de carroceria de madeira, alta, carregamento pela traseira, com 2 contentores de plástico, basculáveis, para o armazenamento de recipientes e cacos de vidro; chassis com PBT mínimo de 8. 000 kg, motor diesel

Coleta seletiva Equipamentos (quantidade mínima) Ø 3 caminhões coletores com capacidade de carga entre

Coleta seletiva Equipamentos (quantidade mínima) Ø 3 caminhões coletores com capacidade de carga entre 12 m³ e 15 m³, dotados de carroceria de madeira, alta, carregamento pela traseira, com 2 contentores de plástico, basculáveis, para o armazenamento de recipientes e cacos de vidro; chassis com PBT mínimo de 6. 000 kg, motor diesel

Coleta seletiva Equipamentos (quantidade mínima) Ø 1 caminhão coletor dotado de carroceria metálica tipo

Coleta seletiva Equipamentos (quantidade mínima) Ø 1 caminhão coletor dotado de carroceria metálica tipo “baú”, com capacidade mínima de 25 m³, carregamento pela traseira, com 2 contentores de plástico, basculáveis, para o armazenamento de recipientes e cacos de vidro; chassis com PBT mínimo de 8. 000 kg, motor diesel

Coleta seletiva Equipamentos (quantidade mínima) Ø 3 caminhões equipados com sistema de içamento e

Coleta seletiva Equipamentos (quantidade mínima) Ø 3 caminhões equipados com sistema de içamento e basculamento de contêineres metálicos, do tipo roll-on/roll- off, com capacidade de carga entre 11 m³ e 15 m³; chassis com PBT mínimo de 6. 000 kg, motor diesel

Coleta seletiva Equipamentos (quantidade mínima) Ø 40 contêineres metálicos, compatíveis e acopláveis aos veículos

Coleta seletiva Equipamentos (quantidade mínima) Ø 40 contêineres metálicos, compatíveis e acopláveis aos veículos com sistema de içamento e basculamento do tipo roll-on/roll-off, com capacidade de carga entre 11 m³ e 15 m³ Ø 2 veículos de tração elétrica dotados de compartimento de carga com capacidade mínima de 2 m³.

Coleta seletiva Características comuns aos veículos Ø Veículos 0 km Ø Idade máxima, durante

Coleta seletiva Características comuns aos veículos Ø Veículos 0 km Ø Idade máxima, durante a execução do contrato, não superior a 5 anos Ø Com compartimento para a guarda de ferramentas Ø Com GPS, para localização por meio de computador instalado no DMLU.

Coleta seletiva Estrutura de pessoal (quantitativo mínimo) Ø 1 gerente operacional Ø 1 supervisor

Coleta seletiva Estrutura de pessoal (quantitativo mínimo) Ø 1 gerente operacional Ø 1 supervisor Ø 28 motoristas Ø 72 garis Ø Técnicos em segurança do trabalho em quantidade conforme a Portaria nº 3. 214/78, do Min. do Trabalho.

Coleta seletiva Obrigações da contratada Ø Não transferir a terceiros as obrigações decorrentes do

Coleta seletiva Obrigações da contratada Ø Não transferir a terceiros as obrigações decorrentes do contrato Ø Executar o serviço de forma silenciosa, ordeira e com urbanidade para com a população Ø Sanar as irregularidades ou defeitos na prestação do serviço verificados pela fiscalização do DMLU

Coleta seletiva Obrigações da contratada Ø Não permitir que seus funcionários façam a triagem

Coleta seletiva Obrigações da contratada Ø Não permitir que seus funcionários façam a triagem de resíduos dispostos para a coleta, para posterior comercialização Ø Não permitir que seus funcionários solicitem à população gratificações ou contribuições Ø Dar treinamento admissional defensiva para os motoristas de prática de direção

Coleta seletiva Obrigações da contratada Ø Promover treinamento admissional para os funcionários com conteúdo

Coleta seletiva Obrigações da contratada Ø Promover treinamento admissional para os funcionários com conteúdo de educação ambiental Ø Desenvolver programa de treinamento contínuo de prevenção de acidentes Ø Vacinar os funcionários contra gripe, hepatite B e tétano.

Coleta seletiva Hipóteses de rescisão unilateral do contrato pelo DMLU Ø Não cumprimento ou

Coleta seletiva Hipóteses de rescisão unilateral do contrato pelo DMLU Ø Não cumprimento ou cumprimento irregular de cláusulas contratuais, especificações e prazos Ø Lentidão no cumprimento do contrato Ø Atraso no início da prestação dos serviços

Coleta seletiva Hipóteses de rescisão unilateral do contrato pelo DMLU Ø Paralisação total ou

Coleta seletiva Hipóteses de rescisão unilateral do contrato pelo DMLU Ø Paralisação total ou parcial do serviço Ø Subcontratação não autorizada Ø Desatendimento das determinações da fiscalização Ø Cometimento reiterado de faltas.

Coleta seletiva Medição e faturamento dos serviços Ø O serviço será medido em “equipes/mês”

Coleta seletiva Medição e faturamento dos serviços Ø O serviço será medido em “equipes/mês” Ø As equipes serão divididas em 4 categorias: ü 21 equipes de coleta com caminhões de carroceria de madeira ü 1 equipe de coleta com caminhão baú ü 3 equipes de coleta com caminhão tipo roll-on/roll-off ü 2 equipes de coleta com veículos elétricos Ø Será exigida 1 equipe de reserva formada por 1 motorista e três garis coletores.

Coleta seletiva Investimento Ø Custo mensal estimado: R$ 423. 006, 97 Ø Custo anual

Coleta seletiva Investimento Ø Custo mensal estimado: R$ 423. 006, 97 Ø Custo anual estimado: R$ 5. 076. 083, 64 Ø Duração do contrato: 60 meses Ø Licitação na modalidade concorrência, do tipo menor preço.

3ª AUDIÊNCIA PÚBLICA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS RECICLÁVEIS OUTUBRO DE 2007 www. portoalegre.

3ª AUDIÊNCIA PÚBLICA COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS RECICLÁVEIS OUTUBRO DE 2007 www. portoalegre. rs. gov. br/limpezaurbana